Diário de viagem: a despedida do Chile

No último dia, arrumamos as malas e aproveitamos um pouco do hostel. Almoçamos no KFC, um hambúrguer com abacate, todos os lanches vão abacate no Chile, inclusive o cachorro-quente, mas é gostoso.

Fizemos o check-in, mas permitiram que nós deixássemos as malas no hostel para podermos nos despedir da cidade. Voltamos e pegamos um táxi até o aeroporto.

Um pouco mais de Santiago

Algumas coisas que eu não mencionei, mas vale a pena falar é que nas ruas há muitos cachorros, inclusive de raça, pois aqui não rola essa de carrocinha.

Os animais são bem tratados e alimentados pelas pessoas. Eles são vacinados e castrados por universitários.

Outra coisa é a limpeza das ruas, ninguém joga lixo no chão e eles dizem que quem joga geralmente são os brasileiros.

Não faça isso, primeiro porque não se deve fazer mesmo em qualquer lugar do planeta e segundo porque eles vão te xingar muito, você vai passar vergonha.

Os chilenos são simpáticos e receptivos.

Saiba como foi a viagem completa ao Chile!

Diário de viagem: outlets e compras em Santiago

O sexto dia da viagem foi dedicado a visitas a outlets e compras em Santiago. Sabíamos que alguns produtos eram mais baratos por lá, já que os impostos são menores do que os do Brasil.

Outlets

Começamos pelas outlets da Adidas e da Nike na Calle Pedro de Valdivia e fomos a da Reebok também, mas não lembro onde exatamente, mas era na região.

Fomos às lojas de eletrônicos, que realmente eram mais em conta. Minha amiga não comprou um notebook que estava bem mais caro no Brasil e se arrependeu depois. Não sei exatamente onde fica, pois um taxista que nos levou até lá.

Mercado Central

Almoçamos no ????????????????????Mercado Central que é uma das principais atrações turísticas da cidade. Aqui há algumas lembrancinhas para vender, frutas diferentes e frutos do mar. Escolhemos o restaurante Donde Augusto que tem até bandeira do Brasil e camisa de times brasileiros.

Eu comi um peixe, mas o tradicional lá é comer a centolla, tipo um caranguejo gigante que só pode ser achado nas águas do Pacífico. Eles ficam vivos nas vitrines.

Demos uma passada pela Ahuada para ver se tinha alguma coisa legal e barata.

Galeria do rock de Santiago

O namorado da minha amiga anda de skate, por isso fomos a uma espécie de Galeria do Rock de Santiago. Ela tem formato em caracol e os preços são mais em conta do que o do Brasil. Eu tentei achar o nome correto do local, mas não consegui.

????????????????????

Souvenirs

Achamos bem difícil comprar souvenirs em Santiago e só conseguimos achar o que queríamos na Estação de Trem da cidade, que tem várias lojinhas. Dizem que você pode achar também na feira de artesanato de Santa Lucía.

Parque Arauco

Fechamos o dia de compras no Parque Arauco, pois, como já disse antes, ele estava em promoção e eu adorei o lugar. Aqui há lojas de marcas famosas e as lojas de departamento tradicionais do país: Paris, Ripley e Falabella. Sem falar nos restaurantes. Ufa! Dia corrido e muito cansativo.

Veja dicas do que fazer em Santiago!

Diário de viagem: Concha y Toro e Cerro San Cristobal

Confesso que nesse quinto dia de viagem eu senti o cansaço acumulado. Na minha rápida estada no Chile, quis aproveitar tudo ao máximo. Acordava cedo, andava muito e ia dormir tarde. Mas vamos a Concha y Toro e Cerro San Cristobal!

Cerro San Cristobal

Nesse dia foi difícil acordar, levantei, tomei café e um energético, e fui até o Cerro San Cristobal. Para chegar ao topo do morro, usamos o funicular, que é tipo um bonde. Lá em cima, havia uma igreja a céu aberto e uma capela, e mais uma vez uma vista incrível de Santiago.

????????????????????

Neste cerro há também um zoológico, mas nós não fomos nele. No pé do morro havia uma lhama, mas tinha que pagar para tirar foto com ela. Aliás, outra coisa que sempre é paga no Chile é o banheiro.

Patronato

Na descida do cerro tomei mais um energético, mas não funcionou muito bem. Até tentei ir com a minha amiga até o bairro Patronato, uma 25 de março chilena, até cheguei lá andando, mas tive que voltar ao hostel para dar uma dormidinha salvadora.

Concha y Toro

Na parte da tarde, fomos de ônibus até Concha y Toro – a maior vinícola do Chile. Fizemos um tour guiado pelo local, que é bem legal. Ele começa com um vídeo falando sobre a vinícola, depois tem a visita aos jardins, ao parque e a fachada da residência de verão da família Concha y Toro do fim do século XIX.  Depois conhecemos os vinhedos com muitas variedades de uva e ai vem a primeira degustação de vinho.

????????????????????

Fomos até os locais onde o vinho é armazenado, inclusive ao Casillero del Diablo, com toda a sua lenda sobre o vinho. Fizemos mais uma degustação e ganhamos a taça que usamos. O passeio termina na loja da Concha y Toro.

Há visitas em inglês, espanhol e português. Elas podem ser reservadas antes pelo site e custam $8.600 pesos chilenos.

Dica extra

Uma coisa que eu não falei ainda é que no decorrer da viagem compramos cervejas e outras coisas em mercados, uma dica é guardar sempre as garrafas de vidro da cerveja que ai você paga mais barato na hora da próxima compra.

Veja outras atrações de Santiago!

Diário de viagem: Los Andes

O quarto dia foi dedicado a conhecer Los Andes. Adianto que foi uma experiência incrível, mas não aconselho ninguém a repetir. Passamos por essa aventura com um grupo de brasileiros que conhecemos no hostel.

Como chegamos aos Andes

Descobrimos que saia um ônibus da rodoviária que subia Los Andes. Então, mais do que depressa lá fomos nós. Estávamos com a gana de economizar dinheiro e desbravar a cidade com os meios de transportes públicos.

Chegamos atrasados. Pegamos uma espécie de van que estava lotada e, por isso, tivemos que seguir viagem de pé. Não me lembro agora quanto tempo ficamos dentro daquele lugar, mas foram cerca de duas horas.

O caminho era horrível. Chacoalhava demais e depois descobrimos que o lugar que estávamos indo tinha águas termais. Legal, né?! Só que não.

A lotação estava cheia de pessoas doentes que queriam se tratar em Baños Morales. A viagem uniu calor, balanço, clima seco, lotação, crianças chorando e, o pior: muitas pessoas passando mal e vomitando.

Como é estar em Los Andes

Ok, vamos para a parte boa. Ao chegar ao topo dos Andes tivemos a sensação de que todo o esforço valeu a pena, estar lá e poder ver toda aquela paisagem foi inexplicável.

Uma energia e uma sensação incríveis. Tivemos ainda a oportunidade de fazer um passeio a cavalo pelas montanhas – só isso já me fez agradecer a oportunidade de estarmos lá.

Andes

Agora o lugar das águas termais era bem feio, molhei só o pé para ver se fazia bem mesmo, mas alguns amigos entraram nas piscinas.

A volta

Na volta, como não queríamos de jeito nenhum ter a mesma experiência da ida, conversamos com um morador da região e conseguimos negociar um valor para que ele nos trouxesse de volta a Santiago.

Parque Arauco

Depois dessa experiência mega cansativa, conseguimos forças extras para passear pelos Los Condes e ir ao Parque Arauco – um shopping que eu particularmente adorei, não só porque ele estava em promoção, mas porque era bonito, diferente e tinha um Tip Tap – um restaurante que me apaixonei.

Tip tap

Para voltar ao bairro BellaVista, já que não tinha mais transporte público, decidimos pegar um táxi, mas negociamos antes o valor da viagem.

Dicas de atrações turísticas em Santiago!

O que fazer em Valparaíso e Viña Del Mar!

Diário de viagem: Valparaíso e Viña Del Mar

O terceiro dia de nossa viagem foi dedicado a duas cidades fora de Santiago: Viña del Mar e Valparaíso.

Como chegar a Valparaíso e viña del mar

Pegamos o metrô e fomos até a rodoviária e lá embarcamos em um ônibus de viagem com destino a Valparaíso.

Há duas companhias que fazem o trajeto: a TurBus e a Pullmann. Os ônibus saem a cada 15 minutos do Terminal Alameda e levam 1h30 até chegar à cidade. Vale a pena curtir a estrada, que proporciona uma vista de uma paisagem bem legal.

????????????????????

Ao chegar à cidade, decidimos pegar uma van de turismo para poder poupar tempo e conhecer melhor a região.

Valparaíso

Valparaíso tem uma beleza peculiar, a cidade é portuária e cercada de cerros – que são tipo morros.

????????????????????Eles proporcionam uma vista incrível do Oceano Pacífico.

As casas são coloridas e antigas. A cidade é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Desbravando um dos cerros, acabamos entrando em uma igrejinha, pois achamos que era um casamento e na verdade era um velório.

Visitamos uma das casas do Pablo Neruda e a Plaza Sotomayor com o prédio da Armada de Chile e o Monumento a los Héroes de Iquique.

Aqui acabamos conhecendo um corpo de bombeiros, graças ao nosso guia que trabalha na corporação. Ele disse que os bombeiros no Chile são voluntários.

Viña Del Mar

Viña Del Mar é diferente de Valparaíso. A cidade é turística e bem cuidada, segundo o nosso guia, é o lugar da galera que tem dinheiro. O balneário de Reñaca é legal, nada comparado às belas praias brasileiras, a areia do local fica lotada, mas o difícil é achar corajosos que encarem a água gelada do Pacífico.

Aqui eu comi no Tip Tap e sonho até hoje com aquela refeição, excelente.

????????????????????

Passamos também por outros pontos turísticos importantes da cidade: o Relógio das Flores e o Casino Viña del Mar. No final, voltamos à rodoviária e pegamos o ônibus de volta a Santiago.

Saiba o que fazer em Santiago!

Pontos turísticos de Santiago

No segundo dia de viagem, decidimos conhecer alguns pontos turísticos de Santiago.

Palacio de La Moneda

Usamos o metrô para chegar até o Palacio de La Moneda , a sede da presidência do Chile. A principal atração por aqui é a troca da guarda presidencial, ela acontece a cada dois dias às 10h da manhã. O palácio tem uma praça de cada lado: Plaza de La Ciudadania e Plaza de La Constituición.

????????????????????

Depois fomos andando até a Paseo Ahuada, um calçadão com comércios e restaurantes.

Metrô de Santiago

Duas coisas importantes, a primeira é que o transporte público do Chile é bom, então você pode pegar o metrô de novo para sair na praça. Os valores do metrô dependem do horário em que você for pegá-lo, nos horários de pico, ele é mais caro. O metrô funciona até às 23h.

Compra de pesos chilenos

Outra questão é a compra de pesos chilenos, ela é bem mais barata nessa região, vale a pena dar uma pesquisada, pois os gastos são menores quando se pega um bom câmbio. Mas só vá a casas de câmbio oficiais, NUNCA troque o dinheiro na rua. Eu optei por sacar dinheiro direto dos caixas eletrônicos com o meu cartão, pagava cerca de R$ 8 de taxa por saque, usei Travel Money e cartão de crédito.

Plaza das Armas

Enfim, chegamos a Plaza das Armas, tipo uma Praça da Sé, por isso, tome cuidado com seus pertences como se você estivesse no centro de São Paulo. Lá havia apresentações de artistas de rua, pregação religiosa e mais manifestações populares.  O local também abriga a Catedral Metropolitana, prédios com arquitetura colonial e museus.

Em um dos restaurantes do local, pudemos ver uma apresentação de uma dança típica chilena: a cueca.

????????????????????

Cerro Santa Lucía

Seguimos até o Cerro Santa Lucía e fomos até o mirante, a subida é bem cansativa, mas vale muito pena. A vista da cidade com os Andes ao fundo é maravilhosa.

Voltamos, pasmem, andando até o hostel e ainda passamos pela Universidad Catolica de Chile. 

Dicas de bar e balada em Santiago!

O que fazer em Valparaíso e Viña del Mar?

Dicas de Bares e baladas em Santiago

Você precisa saber algumas coisas sobre bares e baladas de Santiago antes de se jogar na noite chilena.

Horário de funcionamento

Uma coisa que me chamou a atenção foi a pontualidade que os bares fecham em Santiago. Lá existe uma lei que determina o horário que tudo deve fechar e ela é seguida a risca. Aliás, o policiamento é intensivo.Outra coisa importante: é proibido beber na rua.

O que vestir para sair em Santiago

As mulheres não investem muito no visual e dificilmente você vai achar uma chilena de salto alto na balada. Pode ir mais descontraída.

Pisco

A bebida tradicional do Chile é o pisco, que é uma aguardente de uva, eu provei a versão sour e em uma espécie de caipirinha com framboesa, ambas aprovadas.

Onde fomos

Fomos a muitos bares do bairro de BellaVista e a três baladas distintas. A primeira era mais da galera local e musicalmente foi a que eu mais gostei, pois só tocava canções latinas. Tivemos que sair praticamente a força de lá, pois as mulheres notaram que éramos turistas, se sentiram ameaçadas, começaram a esbarrar na gente e um homem chegou até nós e disse que era melhor irmos embora.

Conhecemos a segunda balada através de brasileiros que moravam em Santiago e era mais uma festa universitária.

Já a última foi bem legal, pois fomos com uma galera bem grande do hostel, de vários países. Ela era como uma balada top daqui do Brasil com vários ambientes, duas pistas, lounges e bares.

Bairro Bellavista

Outro lugar legal do bairro é o Pateo Bellavista, que é tipo um shopping. A maior parte do local é a céu aberto e ele conta com vários bares e restaurantes. Além de lojinhas e caixa eletrônico que dá para sacar dinheiro dos bancos brasileiros.

Vale lembrar que eu me acabei ficando no Bellavista, primeiro por que eu curti o lugar mesmo e segundo, pois dava para ir e voltar dos lugares a pé, sem usar táxis e outros meios de transporte. Mas há bairros com baladas mais caras e tal.

No bairro também havia uma feira de artesanato, lá eu consegui comprar um colar bem legal com a Lápis-Lazuli, uma pedra preciosa só encontrada no Chile e no Afeganistão.

Dicas de atrações turísticas do Chile!

O que fazer no Chile no verão?

Comecei a pesquisar sobre o Chile, me encantei pelo país e decidi que tinha que conhecê-lo. Minhas férias eram em fevereiro. Pensei se seria uma boa ir ao Chile no verão e decidi que sim.

Na verdade eu ainda tenho que visitar mais lugares por lá, mas eu comecei pelos pontos mais tradicionais.

Como ir do aeroporto ao centro de Santiago?

Eu e uma amiga chegamos a Santiago numa sexta-feira de fevereiro quase de madrugada. Do aeroporto até o hostel pegamos um táxi tradicional. Lá também há a opção de acertar o valor antes de chegar ao local. de destino.

Eu sinceramente prefiro usar o taxímetro, que geralmente sai mais barato ou pelo menos é mais justo.

Hospedagem no Chile

Ficar em um hostel foi muito importante para a nossa viagem ser ainda mais divertida, pois além de ser mais barato, é possível conhecer pessoas do mundo todo, inclusive brasileiro, trocar informações e conhecer culturas diferentes.

Hostel

Ficamos no Hostel Bellavista, que eu recomendo, pois é limpo, confortável, perto do metrô, da Plaza Italia, da avenida Providencia, de parques e fica em um bairro que tem vários bares, baladas e restaurantes.  Por isso, apesar de chegarmos tarde, fomos aproveitar um pouco da vida noturna da cidade.

Passagem aérea

Nós compramos as passagens aéreas pela Pluna, mas ainda bem que esta empresa não existe mais, porque os aviões eram horríveis, minúsculos, tinha que comprar a comida e na volta eles cobraram pela bagagem, o que não é permitido no Brasil, mas liberado no Chile.

Saiba como foi a minha viagem pelo Chile e tenha algumas dicas!