Museu da História Natural

Museus em Nova York

Foi difícil definir como organizar os posts sobre NYC.

Por dia seria complicado. Por mais que tentasse separar meus passeios por bairro, seria impossível, me deixei levar pela cidade.

Andava meio que sem rumo, descobria coisas, achava outras sem querer, de repente estava em um metrô e já ia para outro lugar. Sem lógica mesmo.

Vou tentar agrupar passeios, acredito que assim fique mais fácil de organizar uma viagem, depois coloque tudo em um mapa que você pode construir no Google Maps e seja feliz.

Como escolher os museus em que visitar em NYC?

Começarei pelos museus, que são muitos, de diferentes estilos e valem a visita.

Mesmo que você não vá a todos, determine os que mais combinam com o seu estilo, nem que seja somente um deles, e se joga.

Quanto custam os museus de Nova York?

É legal saber que em alguns museus você pode pagar a quantia que quiser para entrar, os preços são somente sugestões.

Não tem grana? Esquece a vergonha e dá o que puder. Eu estabeleci US$ 5 para todos. Se não fosse assim, eu teria que escolher em qual eu iria.

Outro ponto é que alguns tem dias da semana e horários em que eles são gratuitos. Verifique no site de cada um qual a melhor data. O ruim é que podem ter filas enormes.

Você pode ainda pagar meia em caso de ser estudante. Eles aceitaram a minha carteirinha de um curso livre da Belas Artes que não tem data e nem foto.

principais museus de NYC

The Metropolitan Museum of Art, o MET: sua escadaria é onde os locais costumam sentar para comer alguma coisa, conversar, relaxar. Ele é muito grande, tem obras clássicas, egípicias, gregas, armas e armaduras e muito mais. No subsolo tem um restaurante gostosinho.

Próximo ao MET tem mais alguns museus, me indicaram dois deles, mas não entrei, pois estavam fechados. O Museum Solomon R. Guggenheim, que tem uma arquitetura bem legal, e o Neue Galerie New York, especializado em arte alemã e austríaca.  

Descendo o Central Park, tenha um mapa para te orientar nisso, ou pergunte, está o The Museum of Modern Art, o famoso MoMA. Eu amei esse museu. Gosto de arte que me desafia, que me faz pensar. Tem arte moderna, pop, escultura, fotografia.

MoMA

Do outro lado do Central Park está o Museu de História Natural que também é grande e tem obras que demonstram a época pré-histórica, a evolução de alguns animais, tem um conservatório de borboletas.

O Whitney Museum fica em uma das entradas do Highline, não visitei pois estava uma fila gigante e não daria tempo de ver outras coisas, mas um amigo ama esse lugar e define seu acervo assim: “Moderno, maluco e conceitual”.

O Brooklyn Museum é o meu preferido. Ele guarda uma arte crítica, das ruas, contemporânea, pelo menos o acervo estava assim quando visitei. Até as exposições de tumbas e sobre a história americana estavam com um tom bem legal. Enfim, amei forte.   

Museu do BrooklynAcho que os principais são esses, mas têm muitas galerias de artes legais na cidade e ai é só desbravando mesmo. Em uma delas, a Gagosian Gallery, no Soho, pude ver um painel com o Greene Street Mural, do Roy Lichtenstein.

Confira outras dicas de atrações por Nova York!

O metrô de Nova York

A malha metroviária de NYC é simplesmente fantástica. Qualquer lugar que você vá tem um metrô perto, às vezes tem que andar um pouco, mas nada que vá dificultar a sua vida.

No lugar em que estava hospedada, no Brooklyn, eu tinha a possibilidade de pegar diretamente as linhas J, Z, M e G.

Além de ter um terminal de ônibus próximo, mas eu não precisei pegar busão nenhuma vez. Sim, eu estava no gueto e tinha metrô!

Outra vantagem é que o metrô é 24 horas.

Entenda o metrô de Nova York

Apesar de todo mundo falar que era complicado entender como esse tipo de transporte público funciona em NYC, aprendi bem rápido.

Na verdade, o que você precisa é de um mapa do metrô, que pode ser o do aplicativo Subway, que funciona offline, ou o impresso distribuído em hotéis, hostel, pontos turísticos. Andava com os dois para garantir.

Tem nesse site também. 

O que você precisa saber para usar o metrô de NYC:

  • Diferentes linhas passam pela mesma plataforma.
  • Não é em todas as estações que é possível fazer baldeação, mas é na grande maioria.
  • Há trens que não param em determinadas estações, eles são tipo expressos.
  • As estações que são marcadas com branco são as que todos param, já as de preto só alguns.
  • Alguns metrôs não funcionam à noite e de fim de semana, mas há sempre uma alternativa. 
  • Fique sempre atento às placas. Nas plataformas, elas mostram os períodos e se aquela linha para ou não em todas as estações e é claro o destino para você não correr o risco de ir na direção errada.
  • No mapa é possível ver se a estação faz ou não baldeação. Ás vezes, vale dar uma andadinha para pegar o metrô já na linha que chega mais facilmente ao seu destino.
  • Use o Google Maps para achar no mapa as estações de metrô próximas a você, é que essa parte funciona offline. Você consegue ver onde está e o símbolo de estação de metrô.
  • Os trens são diferentes entre si, entre novos, velhos e intermediários, para mim, os melhores é o que diziam a próxima estação e tinham um painel eletrônico com todas as paradas.  
  • Não dá para passar o mesmo cartão duas vezes em seguida, tem um tempo que eu acho que é de 20 minutos.

Sim, as estações e os trens são sujos. Tem latas de lixo, mas o povo não curte muito jogar no lugar certo.

Atrações musicais

É comum encontrar pessoas tocando músicas nas estações, cheguei a ver uma banda inteiro se apresentando.

Metro_Nyc_Musica

Em relação a segurança, não tive e não vi nenhum problema. Nem pixações têm mais por lá.

Compre o MetroCard

Vale comprar o MetroCard de uma semana ou 30 dias se usar muito ou ficar por esse período na cidade. Ele dá direito a passagens de ônibus e metrô ilimitadas nesse período.

Outra opção é comprar o cartão que custa US$ 1 e carregar com quanto quiser, dependendo do valor, você ganha desconto. Dá uma olhada nas tarifas.

Não sei dos outros meios de transporte da cidade, só usei o metrô. Até mesmo para chegar do aeroporto ao hostel e voltar depois.  

Já que aprendeu a andar de metrô, vamos às atrações de NYC!

Nova York: economizar com o dólar alto

Claramente a vida está menos fácil para quem vai para os EUA com o dólar nas alturas e em tempos de crise. Então, ai vão algumas dicas para deixar a sua viagem mais econômica.

16 dicas para economizar em NYC

  1. Se joga no metrô, ele é 24 horas e tem em quase todos os lugares.
  2. Esqueça o táxi ou até mesmo o shuttle do aeroporto até o seu lugar de hospedagem e vá de transporte público.
  3. Hospede-se fora de Manhattan.
  4. Encha sua garrafinha de água nos parques, museus e restaurantes. Parece besta, mas cada garrafa de água custa em torno de US$ 1 e US$ 2, chegando a US$ 3 em alguns lugares.
  5. Use wi-fi público e do seu local de hospedagem. Na rua, você pode se virar bem com um mapa do Google Maps com os pontos do seu interesse e um app do metrô que tem as linhas offline, eu usei o Subway.
  6. Presta atenção quando for visitar um museu se o preço é fixo ou sugerido. Se for sugerido dê o quanto puder, vi um menino pagando US$ 2 e não recebeu nem uma cara feia em troca. Eu decidi pagar US$ 5 em todos.
  7. Há muitos museus que em determinado dia da semana e horário é de graça.
  8. Quando for escolher um local para comer aproveite para carregar o celular, usar o wi-fi e o banheiro.
  9. Compre comidas no mercado. Você pode fazer piquenique nos muitos parques que tem pela cidade.
  10. Se for fazer compras, vá para uma outlet em Jersey, as taxas são mais baixas e os preços das roupas também.
  11. Ande bastante para descobrir o que a cidade tem de melhor.
  12. Eles ficam putos, mas dê gorjeta de acordo com o merecimento do atendente. Não se sinta na obrigação, pois cada dólar gasto é bastante dinheiro para gente.
  13. Visite a Estátua da Liberdade com um Ferry público, ele não desce na ilha, mas não faz muito diferença, já que atualmente não é possível subir na estátua.
  14. Pegue o bondinho que vai até a Roosevelt Island. É o preço de uma passagem de metrô e se você pegar o bilhete semanal, é só passar ele lá. A vista é legal e é um passeio diferente.
  15. Não se esqueça que os preços que vemos está sem imposto, eles colocam na hora, no caixa.
  16. Saiba como comprar dólares da maneira mais barata possível.

Veja todas as atrações de NYC que eu visitei!

NYC

Nova York: voo, translado, hospedagem e cotação

Todo mundo que vai para Nova York se apaixona, simples assim.

Foi no meio de muitos depoimentos e declarações de amor pela cidade que decidi que lá seria o destino das minhas férias.

Outros dois pontos também foram decisivos: ser um lugar em que é possível viajar sozinha com tranquilidade e o preço da passagem.

Passagem

Paguei cerca de R$ 990 na minha passagem aérea ida e volta no Submarino, uns R$ 1500 no total com todas as taxas, voando pela American Airlines.

No voo de ida fiz escala em Miami, mas o de volta veio direto de Nova York para  São Paulo.

Hospedagem

O que eu nem se quer imaginava era o preço da hospedagem. Muito, mas muito cara. Ok, o dólar nas alturas deu uma ajudada para eu ver diárias de hostel acima dos R$ 300.

Hotel então não dava para achar por menos de R$ 1000 o dia. Nem o AirBnb conseguiu me salvar.

A data da viagem estava chegando e eu não conseguia achar um lugar para ficar dentro do que eu pretendia pagar e que fosse descente. E olha que eu revirei a internet.

O Hostel em que fiquei

Nos 45 do segundo tempo, optei por ficar em um hostel no Brooklyn, o B Hotel e Hostel. Paguei R$ 2300 por 8 diárias, com as taxas.

Fechei pela Decolar.com, pois dava para parcelar. O hostel tinha quarto feminino, a maioria dos que pesquisei eram mistos, era próximo a Manhattan e com fácil acesso ao metrô, que era em cima do lugar.

Apesar dessa parte do bairro não ser a mais bonita, ele era seguro para os padrões brasileiros. Cheguei tarde em algumas ocasiões e não vi nada que pudesse dar medo. Tem mercado próximo, Walgreens, Dunkin Donuts, Mc Donalds, mercearias, bares e restaurantes.

As áreas comuns do hostel são bonitinhas e o wi-fi é bom.

A parte dos quartos era ruim, as paredes não iam até o teto e o barulho era quase que insuportável, se você tem sono leve, melhor levar um protetor de ouvido. Tem a iluminação também que acaba entrando nos quartos, leve sua máscara de dormir.

As camas eram boas e os lençóis limpos. Os banheiros eram estranhos, praticamente transparentes, sério, você tomava banho vendo a pessoa ao seu lado caprichar em um número 2. Nos últimos dias, eles estavam bem sujos também.

Recomendo tentar achar um hostel melhor. Veja algumas opções!

Para ter um pouco de tranquilidade, melhor procurar banheiros públicos durante os seus passeios, eles serão mais confortáveis.

Translado do aeroporto para o hostel

Fiz o translado aeroporto-hostel-hostel-aeroporto de metrô e foi bem tranquilo.

Vale o custo/benefício. É fácil e bem mais barato. Olha que eu estava com duas malas. O trem que tem dá acesso as áreas do aeroporto custa US$ 5.

Ah, eu peguei o avião no JFK, acho que o La Guardian seria um pouquinho mais complicado, mas de boa também.

Quanto levar de dinheiro para NYC

Com a instabilidade do dólar, preferi garantir meus gastos em papel moeda. Calculei US$ 100 por dia e coloquei uns US$ 150 a mais.

Foi o suficiente, pude fazer comprinhas e voltei com uns 80 dólares.

CÂMBIO DO DÓLAR

Uma dica para escolher uma casa de câmbio para comprar os seus dólares é acessar o site Jooin. Ele faz a comparação de valores e indica onde a moeda está mais barata.

Ás vezes a casa fez tipo um preço mais competitivo especialmente para o site, quando ligar ou for lá, vale falar o valor que você viu, até mostrar um print, e eles farão por esse preço.

Confira mais da viagem nos posts com dicas de atrações e economia por Nova York! 

Update: o Jooin mudou para Melhor Câmbio.