Diário de viagem: primeira noite em Buenos Aires

Eu e mais três amigas decidimos totalmente de última hora e sem muita programação ir a Buenos Aires.

Vou contar para vocês como foi essa viagem. Consegui muitas dicas em blogs e também quero ajudar os viajantes a conhecer melhor o país dos nossos hermanos.

Aeroporto ezeiza x aeroparque

Chegamos por volta das 18 h do dia 2 de julho de 2010 no aeroporto de Ezeiza. Ele fica a uns 35km do centro. Ai vai a primeira dica: prefira os voos para o aeroporto Aeroparque Jorge Newberry. Ele está a apenas 4 km do centro.

Onde trocar dinheiro em Buenos Aires?

No aeroporto conseguimos trocar reais por pesos no Banco de La Nacion Argentina, eles pagam o valor da cotação do dia.

Não recomendo trocar pesos no Brasil, pois lá você consegue preços mais baixos do que os daqui e ainda consegue pagar muitas coisas em real com uma cotação menor.

Como ir do aeroporto ao centro?

Pegamos um táxi no aeroporto até o hostel em que ficamos hospedadas. Os táxis oficiais de Buenos Aires são amarelos na capota e preto no restante. São baratos e você precisa tomar certos cuidados, como em boa parte do mundo. Eles podem ir por caminhos mais longos e dar voltas para você pagar mais.

Prefira que o local que você está hospedado chame o táxi para você. Outra opção são uns carros que você negocia o preço antes. Nós pegamos um desse para ir ao hostel. O valor é quase o mesmo dos táxis tradicionais.

Hospedagem

Reservamos o Hostel Suites Obelisco e eu adorei o lugar. Os quartos e os banheiros eram limpos diariamente. Não tinha barulho, os atendentes até que eram simpáticos e a localização excelente.

Os computadores não funcionam muito bem. Eu só conseguia usá-los de madrugada por que nos outros horários sempre tinha gente.

Comida

Naquela noite jantamos em um restaurante que parecia ser da Pepsi – era o nome que estava no letreiro. Comemos pizza, e apesar de não ser igual à de São Paulo, estava muito boa.

Comer bem em Buenos Aires é quase um achado. Em geral a comida é sem tempero, o frango é cheio de gordura e tem lugares não muito limpos.

Balada em Buenos Aires

Decidimos conhecer a noite de Buenos Aires e conseguimos comprar no hostel um bloquinho com entradas para várias baladas, com todos os dias da semana, por 40 pesos.

Mega barato, afinal em quantas baladas bacanas você entra com R$ 20,00 no Brasil!

O atendente do hostel nos indicou uma balada, mas quando chegamos lá percebemos que ela era “lado B”, alternativa, como se fosse uma balada da Augusta, em um beco da República.

Como não era muito o nosso perfil decidimos arriscar e ir a uma balada fora de Buenos Aires, em Olivo, o nome dela é Sunset. Era um lugar incrível com pessoas de diversos estilos, grande – parecida com a Pacha – e tinha várias ambientes.

No principal tocava música latina. Inclusive tinha um palco para apresentações que naquele dia estava um grupo cubano. Em outra pista tocava música eletrônica. Galera animada!

Na volta queríamos pegar um táxi de Buenos Aires porque os da cidade eram bem velhos, mas era proibido. Para conseguir pegar um tivemos que ir longe do fiscal e entrar correndo em um táxi.

Para a nossa sorte conseguimos um taxista legal que levou a gente para casa com a quantia que tínhamos e ainda nos levou para conhecer outras regiões da cidade, lembro que passamos por Palermo e ele nos mostrava toda hora moças andando sozinhas de madrugada e falava que era normal isso acontecer em Buenos Aires.

Confira o segundo dia em Buenos Aires!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *