Lisboa: Bate e volta em Sintra (Dias 4 e 5)

Acredito que Sintra seja o bate e volta mais conhecido para quem viaja para Lisboa e se essa é a sua primeira vez em terras lusitanas, o passeio é praticamente obrigatório.

Sintra é classificada pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade, ela é uma cidade de serra, com edifícios históricos, aconchegante e muito bonita.

Como chegar em Sintra

A cidade fica a 30 km de Lisboa, cerca de 40 minutos de viagem. O trem para Sintra parte da Estação do Rossio e custa 4,30€ (ida e volta). Consulte o horário dos comboios.

Como se locomover pela cidade

Para se locomover pela cidade é possível usar o transporte público, com os ônibus 434 e 435 ou pegar aqueles carros tradicionais de turismo hop on/hop off.

Andar requer tempo e preparo físico, visto que as atrações são distantes umas das outras, alguns lugares não tem calçadas, as estradas são sinuosas e íngremes.

Autocarro/ônibus turístico 434

Ele sai da estação de trem, passa pelo centro e sobe as colinas rumo ao Palácio da Pena.

No centro da vila podem ser visitados o Palácio Nacional, a Câmara Municipal e explorar as lojas e restaurantes.

Subindo o morro a ordem das atrações é: Castelo dos Mouros, Parque da Pena e Palácio da Pena.

O primeiro sai às 9h15 e o último às 19h50. Ele passa em cerca de 20 minutos no verão e 40 minutos durante o resto do ano.

Valor: uma viagem de um ciclo custa 5€. O bilhete ilimitado custa 12€.

Autocarro/ônibus turístico 435 (Villa Express 4 Palácios)

É possível pegar esse ônibus também na estação central, no mesmo ponto do 434.

Ele passa pelo centro da vila, Quinta da Regaleira, Palácio de Seteais, Palácio de Monteserrate.

Valor: uma viagem de um ciclo custa 1€. O bilhete ida e volta custa 2,50€.

Ônibus 403 – Cascais Terminal/Sintra Estação (Cabo da Roca)

Para quem, que nem eu, tem vontade de ir ao Cabo da Roca – o ponto mais ocidental do continente europeu – tem que pegar um outro ônibus.

O 403 parte tanto da estação de Sintra, quanto do terminal de Cascais, mas é preciso tomar cuidado, pois não são todos os carros da linha que param no Cabo da Roca. Confira os horários dos ônibus e os itinerários.

Minha experiência com o transporte público em Sintra

Fui na sexta-feira santa para Sintra e a cidade estava extremamente cheia. Ao chegar na estação de trem fui direto ao ponto de informação aos turistas e peguei uma fila grande até conseguir essas informações sobre transporte que citei acima e um mapa.

As filas para pegar o ônibus estavam grandes e quando eles chegavam saiam abarrotados de gente.

Fiz as contas do que queria ver e quanto gastaria de transporte público, cerca de 15€, e cheguei a conclusão que valia a pena pagar 18€ para andar no City Sightseeing Sintra.

Roteiro Sintra

City Sightseeing Sintra

O tradicional ônibus de turismo vermelho conta com 15 paradas, incluindo o Cabo da Roca, no sistema Hop-on/Hop-off.

Ele possui duas linhas: a vermelha e a azul. Você pode pegá-las quantas vezes quiser no período de 24 horas.

Outro ponto legal é que tem áudio-guia em português do Brasil, então mesmo que você não visite todos os lugares, o que é impossível em um dia, descobre a história de cada um.

Paradas linha vermelha: Palácio Nacional de Sintra, Palácio da Quinta da Regaleira, Palácio de Seteais, Parque de Monserrate, Colares – Adega Regional, Praia Grande, Cabo da Roca, Convento dos capuchos, Chalet da Condessa, Portão dos Lagos, Castelo dos Mouros, Palácio Nacional da Pena e Igreja de São Pedro de Penaferrim.

Paradas linha azul: Estação de Caminhos de Ferro, Palácio Nacional de Sintra, Portão dos Lagos, Castelo dos Mouros, Palácio Nacional da Pena, Igreja de São Pedro de Penaferrim e Volta do Duche.

A linha vermelha passa a cada uma hora, muitas vezes menos que isso, e a azul a cada 30 minutos. Horários e mais informações.

Atrações turísticas

Vou considerar para o roteiro passagens ilimitadas de ônibus, saindo da estação de trem de Sintra.

Acredito que mais do que escolher entrar nas atrações mais famosas, vale visitar o que combina com você e o que quer muito conhecer.

Dá para visitar com calma três pontos turísticos e o centro da vila.

Castelo dos Mouros

Roteiro Sintra

Construída pelos Mouros, no século X, a fortificação e suas lindas muralhas proporcionam uma vista incrível da cidade. Há ainda uma igrejinha e um local que guarda ossadas.

Os horários e os preços variam de acordo com a época do ano. Confira aqui!

Parque e Palácio Nacional da Pena

Roteiro Sintra

Acredito que esse seja o ponto turístico mais disputado da cidade. O parque é bonito, tem lagos, grutas, capelas, estufas e jardins.

O palácio foi construído entre 1839 e 1885 e conta com diferentes estilos arquitetônicos: neo-árabe, neo-gótico e neo-manuelino. É um símbolo do romantismo português.

Os horários e os preços variam de acordo com a época do ano. Confira aqui!

Palácio Nacional de Sintra

Residência da família real a partir do século XII, o palácio foi construído pelos Mouros. Conta com um acervo de azulejos e diferentes influências arquitetônicas.

Os horários e os preços variam de acordo com a época do ano. Confira aqui!

Aproveite que está no centro da vila, almoce e passeie pelas lojinhas. 

Palácio Monserrate

Combina influências góticas, indianas e sugestões mouriscas. Foi residência de verão de uma família inglesa e conta com ruínas, sarcófago, cascatas, trilhas e um parque.

Os horários e os preços variam de acordo com a época do ano. Confira aqui!

Cabo da Roca

Roteiro Sintra

O Cabo da Roca é simplesmente ma-ra-vi-lho-so. O ponto mais ocidental da Europa foi descrito por Luis Vaz de Camões como: “Onde a terra se acaba e o mar começa”.

Vale dar uma desacelerada e ficar um tempo sentada admirando a paisagem.

Quinta da Regaleira

Roteiro Sintra

Perguntei para algumas pessoas da região qual lugar eles achavam que era o mais legal para realmente descer, entrar e visitar. Todos falaram a Quinta da Regaleira.

Eu fiz o Cabo da Roca e voltei para o centro, aproveitando para tomar um café da tarde na Casa Piriquita com seus famosos travesseiros e queijadas.

Fui andando até a Quinta da Regaleira que é próxima ao centro e não tem grandes subidas.

O lugar é realmente incrível, tem grutas, passagens secretas, esculturas, uma igrejinha e todo o projeto arquitetônico está exposto dentro da casa.

Os horários e os preços variam de acordo com a época do ano. Confira aqui!

Ingressos combinados

Os ingressos se comprados de forma combinadas saem mais baratos. Faça as simulações e veja quanto as suas atrações favoritas custam juntas.

Dica importante: faz frio em Sintra, mesmo que esteja calor em Lisboa, leve uma blusa. Eu fui só com a minha segunda pele e o vento passava por ela de um jeito que quase congelei. 

Voltei a Lisboa e ainda jantei com uma amiga jornalista, Priscila Roque, que estava fazendo aniversário, ela é apaixonada por Portugal e tem um blog sobre o país, junto com seu marido, além de fazer ensaios fotográficos e roteiros personalizados.

O jantar foi no O Prego Peixaria, um lanche de carne delicioso e batata-doce frita.

Dia 5

O quinto dia em Lisboa também pode ser dedicado a um novo bate e volta, não vou detalhar, pois nesse dia estava chovendo e eu não me arrisquei a viajar dessa maneira.

Acredito que no verão o melhor é ir até Cascais, que é perto, dá para ir de trem, saindo do Cais do Sodré, e o caminho é bonito. Além de ser barato: 4,30€ (ida e volta).

A outra opção é Óbidos que é um pouco mais longe, mas não precisa do dia inteiro para visitá-la. O ônibus para a cidade sai do terminal rodoviário Campo Grande e custa 15,20€ (ida e volta). Dizem que parece uma cidade de contos de fada.

Mais informações e ideia de bate e volta no Cultuga.

Roteiro de Lisboa dia 1

Roteiro de Lisboa dia 2

Roteiro de Lisboa dia 3

3 comentários sobre “Lisboa: Bate e volta em Sintra (Dias 4 e 5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *