Eurotrip: Como escolher a hospedagem na Europa

Separei algumas dicas para que fique mais fácil escolher a sua hospedagem na Europa.

Geralmente, quando você faz um mochilão pela Europa não tem muito tempo a perder ficando em locais mal-localizados e que não oferecem o que o viajante precisa.

O que considerar ao escolher a sua hospedagem:

  1. Boa localização. Perto da maioria das atrações, principalmente as noturnas, e de fácil acesso aos transportes públicos. O Booking tem um método legal de destacar essa informação.
  2. Estrutura da hospedagem. Olhe as fotos e veja se o que o lugar oferece é compatível com as suas necessidades e com o preço que eles estão cobrando. Tem cozinha? Bar? Entretenimento? O banheiro é compartilhado? Quantas pessoas estão no mesmo quarto? É misto?
  3. Objetos que fazem a diferença. Aqui você precisa saber se, por exemplo, na sua cama em um hostel tem uma luz de leitura, se tem locker ou cofre para guardar suas coisas, se há secador de cabelo, adaptador de tomadas.
  4. Leia os comentários sobre o lugar. Sempre faça isso! É aí que você vai saber as vantagens e desvantagens ditas por quem já passou por essa experiência.
  5. Limpeza! Geralmente nos comentários as pessoas comentam se o local é limpo ou não. Fique atento, principalmente quando se fala de banheiro.
  6. Segurança. Certifique-se de estar em uma vizinhança em que se pode andar sem grandes preocupações.
  7. Conforto. Outra coisa que geralmente estão nos comentários. É legal saber se as camas são boas, mesmo em um hostel.
  8. Ficar atento à políticas de cancelamento. Se você mudar de ideia no meio do caminho, tem que estar ciente das consequências.
  9. O café da manhã é incluso? Ás vezes não reparamos nesse detalhe e é ele que está fazendo a diferença no preço. Dica: dá para tomar um café gastando pouco, os valores variam de acordo com o país, em Portugal, por exemplo, é possível achar fácil um café com leite + croissant por €2.
  10. A roupa de cama é de “graça”? Sim, há hostel que não inclui isso no preço e você precisa alugar a parte ou levar os seus lençóis. Isso vale também para as toalhas.
  11. Confira os horários de check-in e check-out.
  12. Há lugares para deixar a bagagem? Nem sempre as passagens de avião, trem e ônibus respeitam os horários de saídas e entradas, se isso acontecer, é legal que o local tenha um lugar para colocar as suas malas para que você possa aproveitar os passeios.
  13. Leia as regras da casa. Os espaços alugados, por exemplo, pelo Airbnb tem uma lista de coisas que o anfitrião pede para seu convidado seguir.
  14. Barulho, se for um problema para você. Algumas acomodações estão localizadas em locais com muitos ruídos ou tem festas que atrapalham o sono de algumas pessoas.
  15. A equipe da hospedagem vai te ajudar? Eles são simpáticos e prestativos? É legal saber se a receptividade e a capacidade de solução de problemas dos atendentes é boa.
  16. Facilidades. Mapas, dicas turísticas, de alimentação, serviço, entretenimento são pontos positivos para a acomodação.

Sites de reserva de hospedagem

Os sites que eu uso para pesquisar hospedagens são o Booking, o Decolar (para parcelar), o Airbnb, o Hostel World, o Trivago e o Trip Advisor.

Saiba o que levar na mala em uma viagem pela Europa!

Dica de hospedagem boa e barata em Montevidéu

Sempre que viajo procuro maneiras alternativas de hospedagem, pois, para mim o que importa basicamente é ter uma cama boa, um banheiro digno e que tudo isso seja  limpo. Consegui uma hospedagem boa e barata em Montevidéu.

Na verdade, eu prefiro gastar com outras coisas que considero mais importantes, como: comida, passeios, aluguel de carro. Outro ponto é que eu sou muito intensa, então, pouco fico no lugar em que fico hospedada.

Uma coisa que levo bastante em conta é a localização, isso sim faz uma diferença danada.

O lugar em que fiquei

Viajei para o Uruguai com o meu namorado, portanto, optei por pegar um quarto para casal no AirBnb. Caso vá sozinho ou com amigos, acredito que escolher um hostel pode ser uma boa opção.

O lugar era bem recomendado, o que é fundamental na hora da sua decisão de escolha, o bairro – Pocitos – era tranquilo, tinha bons restaurantes, mercados, ponto de ônibus na porta, lugar para estacionar o carro, caso você alugue um, perto da rambla, do centro, enfim, fácil acesso ao resto da cidade.

O quarto era grande e confortável e as anfitriãs bem receptivas, está ai uma das coisas que eu mais gosto do AirBnb: poder fazer contato, conhecer a vida dos locais e se sentir um pouco como moradora do lugar, menos turista.

Acompanhe o diário de viagem do Uruguai no Nah Estrada!

Como escolher onde morar durante o intercâmbio?

Uma dúvida muito frequente de quem quer estudar fora do país é: onde morar durante o intercâmbio? Você tem que decidir qual o tipo de acomodação é melhor para você.

Para isso, é necessário levar em consideração seus objetivos na viagem, sua personalidade, os gastos, o tempo de permanência e a localização. Compare os tipos de hospedagem!

Homestay

Ela geralmente é ligada a escola e não oferece muitas escolhas em relação à localização, podendo ficar um pouco longe do seu local de estudo. Neste tipo de acomodação você pode escolher ficar em um quarto privado ou compartilhado, com ou sem as refeições.

A alternativa é boa para quem é menor de idade e para aqueles que desejam conhecer a cultura do país mais a fundo, podendo se relacionar diretamente com os nativos. O preço na maioria das vezes é mais em conta.

Residência estudantil

Neste tipo de acomodação você mora com outros estudantes de diferentes partes do mundo. Aqui quartos compartilhados são mais baratos e é você quem compra e faz a sua própria comida.

É legal para quem quer conhecer diferentes culturas e não gosta de morar com uma família desconhecida. As residências geralmente são bem próximas às escolas e universidades.

Locação de apartamentos

Essa pode ser a opção que vai te dar maior liberdade em seu intercâmbio. Você pode fazer o que quiser, escolher com quem quer morar e tudo mais. Essa geralmente é a opção mais cara.

Minha escolha: homestay com locação de apartamentos

Intercambio

Como o meu intercâmbio na Califórnia era de apenas um mês, resolvi que queria ter uma experiência intensiva voltada para o aprimoramento do meu inglês. Então, inicialmente decidi ficar em uma homestay, mas o fato de não poder escolher a família e a localização me incomodavam.

Então, descobri o airbnb – uma espécie de rede social de aluguel de quartos, casas e até trailers. Assim, pude escolher um quarto privado, próximo a minha escola, num valor que fosse compatível com o meu orçamento e ainda não abrir mão da vivência com uma família americana/coreana.

Aliás, eu acredito que essa minha escolha tornou a minha viagem muito melhor, já que minha hostfamily era bem legal comigo, atenciosa e eles me ajudaram em tudo que precisei.

A comida eu que comprava e preparava. Não havia regras em relação a horários para chegar em casa.

Escolha a sua escola de intercâmbio!