Hostel Florença

Hospedagem em Florença: o melhor hostel!

Eu particularmente A-M-E-I a minha hospedagem em Florença. Talvez os meus motivos para achar o Hostel Gallo D´oro o melhor hostel que já fiquei na vida não sejam os mais convincentes para todo mundo.

Pontos positivos: atendimento, limpeza, estrutura, conforto, preço e COMIDA.

Ponto negativo: localização (mas nem é tão longe do centro) e área de convivência com jogos (que eu nem ligo).

Reservei a hospedagem pelo Booking.com e esse é o site que eu uso geralmente para escolher hostel.

COMIDA

Grande parte dos hotels na Europa não oferecem café da manhã. Achar um que tem além de café, comida o dia inteiro e maravilhosa é tipo raridade.

O Gallo D´oro tem máquina de suco, de bebidas quentes e de água que podem ser usadas o dia todo. Comidinhas deliciosas sempre a mesa. Ainda sonhos com o que chamo de almofadinhas de Nutella.

Atendimento

Todos os funcionários foram bastantes simpáticos e solícitos. Sempre dispostos a ajudar e tornar a estadia agradável. Funcionários 24 horas.

Estrutura

Os quartos eram bastante confortáveis e completamente equipados. Tem locker, lanterna na cama, criado mudo, bancos e mais. Há uma boa quantidade de banheiro com secador de cabelo e bons chuveiros.

Há ainda lavanderia e local para deixar as bagagens. A área de alimentação é bastante completa, porém não tem sinuca, videogame e essas coisas. Tem uma TV.

Limpeza

Achei bastante limpo. Banheiros, quartos e áreas comuns.

Localização

Ai vai a parte não tão boa. Na verdade não é tão distante assim do agito, mas o hostel fica a cerca de 10 minutos andando do centro do Florença. Tem uma ciclovia na rua e um ponto de ônibus na porta.

Sério, eu gostei muito de me hospedar lá. Pude sentir ainda melhor como é estar na Itália.

Roma

Hospedagem em Roma boa e barata

Me hospedei em Roma no Mia Lodge B&B. O hostel, que é mais uma guest house, tem um bom custo x benefício, principalmente para mulheres que não gostam de ficar em quartos mistos.

Ele é ideal para quem só usa a hospedagem como base para dormir, tomar banho e relaxar.

Reservei o local usando o Booking, sem nenhuma forma de pagamento antecipado, e não tive nenhum problema em relação a reserva.

Localização

A localização do hostel é muito boa, ele fica perto do Roma Termini, na Via Cavour. Dá para ir a pé tranquilo até mesmo com bagagem. Lembrando de sempre ficar esperto com os batedores de carteira.

Está próximo a atrações turísticas como o Coliseu, o Foro Romano e a Fontana di Trevi. Tem uma estação de metrô próxima (Cavour).

Além de ficar em um área em que há muitos restaurantes, bares, mercados e até uma lavanderia ao lado.

Precisei usar lavanderia, custou 10 euros , deixei as roupas e voltei para buscar em uma hora.

Recepção

Quando cheguei precisei ir a uma espécie de bar, é lá que fica a “recepção” do hostel. Fui atendida por um simpático italiano e esperei que a dona da hospedagem fosse até lá.

Apesar desse que pode parecer um transtorno, foi tranquilo esperar e já deu para entrar no ritmo da Itália.

A hospedagem fica em um prédio na rua debaixo do bar e foi no quarto da dona que pude fazer o check in propriamente dito. A hostess é bastante simpática e solícita.

Estrutura

Não há estrutura de espaço de convivência são basicamente os quartos, os banheiros e uma micro cozinha com geladeira.

Não sei se são todos, mas o quarto em que fiquei tinham três camas, e não beliches, era bem espaçoso com armários, criados mudos com abajur e uma mesa de estudo.

No banheiro haviam produtos de banho e secadores de cabelo. A limpeza era boa, a própria dona que fazia diariamente.

Café da manhã

Embora no Booking.com falava que não havia café da manhã incluso na estadia, eles oferecem um bem simples no bar.

Tomei o café uma única vez e achei que não valia a pena diante das delicias que poderia comer em Roma.

Ah, os quartos ficam em um prédio e o elevador é pago. Bizarro, né?! Mas tem que colocar acho que 10 centavos. Depois descobri que dá para andar nele sem colocar a moeda.

Já está instalado? Vamos aos roteiros de viagens! 

Hostel Barcelona

Hospedagem em Barcelona

Acabei tendo problemas para reservar o hostel em Barcelona, não sei se o sistema que eles estavam usando lá não era compatível com o meu cartão de crédito, mas lugares diferentes recusaram a minha reserva pelo Booking.

O Duo By Somnio Hostels me deu como opção o Agoda, que eu acho que também é alguma coisa do Booking, e deu certo, pois não exigia nenhum tipo de pagamento antecipado.

Quando cheguei o hostel estava cheio e minha reserva não estava no sistema interno deles para o primeiro dia.

Como solução, montaram uma cama daquelas de mola que fecham ao meio em um quarto totalmente ocupado, entre dois beliches, deixando as outras meninas um pouco desconfortáveis.

Não me cobraram essa diária e eu decide dormir do lado contrário da cama para deixar minhas colegas de quarto mais tranquilas com a situação. Ah, e uma delas roncava!

Localização

O hostel fica bem perto da Estação do Metrô Diagonal entre a Passeig de Grácia e a Rambla Catalunya. Linhas de ônibus também estão próximas.

Além de ter locais para tomar café, um Starbucks na esquina, restaurantes, lojas, bares e um mercado 24 horas a alguns quarteirões.

Não fica exatamente no centro, mas é possível chegar andando até a Sagrada Família e é bem perto da Casa Batló. A área é elitizada e tem alguns escritórios o que a torna movimentada. As opções são um pouco caras.

Estrutura

É mais um apartamento com vários quartos do que um hostel propriamente dito. Eles te dão a chave do local e não há recepção ou funcionários 24 horas. Tem cozinha, é limpo e a área de convivência é confortável. Tem água, máquina de chá e café. O wi-fi é bem ruim.

Confira os roteiros de Barcelona! 

Madrid: transporte público e hospedagem

Como funciona o metrô de Madrid

Minha primeira experiência no metrô de Madrid não foi das melhores, mas ele é bom e bem extenso. Veja o mapa!

Como não estamos muito acostumados com zonas e preços diferentes parece bem difícil. Mas, na verdade, há máquinas fáceis de mexer e com mais de uma opção de linguagem para você escolher.

Se eu sei calcular os valores? Claro que não. Só coloco o destino final, o preço que pede e sai o passe. risos

A tarifa individual não varia tanto assim, de 1 a 2 euros. Para embarcar ou descer no aeroporto, é mais caro, entre 3 e 6 euros.

Há ainda os passes combinados e o turístico, que é tipo passe do dia. Confira as tarifas!

Eu usei metro do Aeroporto ao hostel, do hostel ao estádio do Real Madrid, Santiago Bernabéu, e para a Plaza de Toros. O resto foi realmente TUDO a pé.

Hospedagem em Madrid

Metro e hospedagem em Madrid

As atrações são relativamente próximas em Madrid, mas acredito que o hostel em que me hospedei ajudou muito a ter fácil acesso à todos os lugares.

O Far Home Atocha é bem localizado, as camas são confortáveis, o espaço em comum é bacana, sem jogos e tal, mas para mim não faz diferença. Sem contar a vista da sacadinha. Gostei bastante!

Reservei pelo Booking e se não me engano tive que pagar algum trocado para deixar a minha mala lá antes do horário do check-in.

Confira os roteiros de Madrid! 

Eurotrip: Como escolher a hospedagem na Europa

Separei algumas dicas para que fique mais fácil escolher a sua hospedagem na Europa.

Geralmente, quando você faz um mochilão pela Europa não tem muito tempo a perder ficando em locais mal-localizados e que não oferecem o que o viajante precisa.

O que considerar ao escolher a sua hospedagem:

  1. Boa localização. Perto da maioria das atrações, principalmente as noturnas, e de fácil acesso aos transportes públicos. O Booking tem um método legal de destacar essa informação.
  2. Estrutura da hospedagem. Olhe as fotos e veja se o que o lugar oferece é compatível com as suas necessidades e com o preço que eles estão cobrando. Tem cozinha? Bar? Entretenimento? O banheiro é compartilhado? Quantas pessoas estão no mesmo quarto? É misto?
  3. Objetos que fazem a diferença. Aqui você precisa saber se, por exemplo, na sua cama em um hostel tem uma luz de leitura, se tem locker ou cofre para guardar suas coisas, se há secador de cabelo, adaptador de tomadas.
  4. Leia os comentários sobre o lugar. Sempre faça isso! É aí que você vai saber as vantagens e desvantagens ditas por quem já passou por essa experiência.
  5. Limpeza! Geralmente nos comentários as pessoas comentam se o local é limpo ou não. Fique atento, principalmente quando se fala de banheiro.
  6. Segurança. Certifique-se de estar em uma vizinhança em que se pode andar sem grandes preocupações.
  7. Conforto. Outra coisa que geralmente estão nos comentários. É legal saber se as camas são boas, mesmo em um hostel.
  8. Ficar atento à políticas de cancelamento. Se você mudar de ideia no meio do caminho, tem que estar ciente das consequências.
  9. O café da manhã é incluso? Ás vezes não reparamos nesse detalhe e é ele que está fazendo a diferença no preço. Dica: dá para tomar um café gastando pouco, os valores variam de acordo com o país, em Portugal, por exemplo, é possível achar fácil um café com leite + croissant por €2.
  10. A roupa de cama é de “graça”? Sim, há hostel que não inclui isso no preço e você precisa alugar a parte ou levar os seus lençóis. Isso vale também para as toalhas.
  11. Confira os horários de check-in e check-out.
  12. Há lugares para deixar a bagagem? Nem sempre as passagens de avião, trem e ônibus respeitam os horários de saídas e entradas, se isso acontecer, é legal que o local tenha um lugar para colocar as suas malas para que você possa aproveitar os passeios.
  13. Leia as regras da casa. Os espaços alugados, por exemplo, pelo Airbnb tem uma lista de coisas que o anfitrião pede para seu convidado seguir.
  14. Barulho, se for um problema para você. Algumas acomodações estão localizadas em locais com muitos ruídos ou tem festas que atrapalham o sono de algumas pessoas.
  15. A equipe da hospedagem vai te ajudar? Eles são simpáticos e prestativos? É legal saber se a receptividade e a capacidade de solução de problemas dos atendentes é boa.
  16. Facilidades. Mapas, dicas turísticas, de alimentação, serviço, entretenimento são pontos positivos para a acomodação.

Sites de reserva de hospedagem

Os sites que eu uso para pesquisar hospedagens são o Booking, o Decolar (para parcelar), o Airbnb, o Hostel World, o Trivago e o Trip Advisor.

Saiba o que levar na mala em uma viagem pela Europa!

NYC

Nova York: voo, translado, hospedagem e cotação

Todo mundo que vai para Nova York se apaixona, simples assim.

Foi no meio de muitos depoimentos e declarações de amor pela cidade que decidi que lá seria o destino das minhas férias.

Outros dois pontos também foram decisivos: ser um lugar em que é possível viajar sozinha com tranquilidade e o preço da passagem.

Passagem

Paguei cerca de R$ 990 na minha passagem aérea ida e volta no Submarino, uns R$ 1500 no total com todas as taxas, voando pela American Airlines.

No voo de ida fiz escala em Miami, mas o de volta veio direto de Nova York para  São Paulo.

Hospedagem

O que eu nem se quer imaginava era o preço da hospedagem. Muito, mas muito cara. Ok, o dólar nas alturas deu uma ajudada para eu ver diárias de hostel acima dos R$ 300.

Hotel então não dava para achar por menos de R$ 1000 o dia. Nem o AirBnb conseguiu me salvar.

A data da viagem estava chegando e eu não conseguia achar um lugar para ficar dentro do que eu pretendia pagar e que fosse descente. E olha que eu revirei a internet.

O Hostel em que fiquei

Nos 45 do segundo tempo, optei por ficar em um hostel no Brooklyn, o B Hotel e Hostel. Paguei R$ 2300 por 8 diárias, com as taxas.

Fechei pela Decolar.com, pois dava para parcelar. O hostel tinha quarto feminino, a maioria dos que pesquisei eram mistos, era próximo a Manhattan e com fácil acesso ao metrô, que era em cima do lugar.

Apesar dessa parte do bairro não ser a mais bonita, ele era seguro para os padrões brasileiros. Cheguei tarde em algumas ocasiões e não vi nada que pudesse dar medo. Tem mercado próximo, Walgreens, Dunkin Donuts, Mc Donalds, mercearias, bares e restaurantes.

As áreas comuns do hostel são bonitinhas e o wi-fi é bom.

A parte dos quartos era ruim, as paredes não iam até o teto e o barulho era quase que insuportável, se você tem sono leve, melhor levar um protetor de ouvido. Tem a iluminação também que acaba entrando nos quartos, leve sua máscara de dormir.

As camas eram boas e os lençóis limpos. Os banheiros eram estranhos, praticamente transparentes, sério, você tomava banho vendo a pessoa ao seu lado caprichar em um número 2. Nos últimos dias, eles estavam bem sujos também.

Recomendo tentar achar um hostel melhor. Veja algumas opções!

Para ter um pouco de tranquilidade, melhor procurar banheiros públicos durante os seus passeios, eles serão mais confortáveis.

Translado do aeroporto para o hostel

Fiz o translado aeroporto-hostel-hostel-aeroporto de metrô e foi bem tranquilo.

Vale o custo/benefício. É fácil e bem mais barato. Olha que eu estava com duas malas. O trem que tem dá acesso as áreas do aeroporto custa US$ 5.

Ah, eu peguei o avião no JFK, acho que o La Guardian seria um pouquinho mais complicado, mas de boa também.

Quanto levar de dinheiro para NYC

Com a instabilidade do dólar, preferi garantir meus gastos em papel moeda. Calculei US$ 100 por dia e coloquei uns US$ 150 a mais.

Foi o suficiente, pude fazer comprinhas e voltei com uns 80 dólares.

CÂMBIO DO DÓLAR

Uma dica para escolher uma casa de câmbio para comprar os seus dólares é acessar o site Jooin. Ele faz a comparação de valores e indica onde a moeda está mais barata.

Ás vezes a casa fez tipo um preço mais competitivo especialmente para o site, quando ligar ou for lá, vale falar o valor que você viu, até mostrar um print, e eles farão por esse preço.

Confira mais da viagem nos posts com dicas de atrações e economia por Nova York! 

Update: o Jooin mudou para Melhor Câmbio.

Como não amar San Francisco?

Era o que eu me perguntava o tempo todo no final de semana que passei por lá: como não amar San Francisco? As casinhas vitorianas, os prédios com escadas de emergência externas, o clima, a paisagem, os parques, os bondes, não sei, acho que tudo isso junto me encantou.

Hostel em San Francisco

Fiquei hospedada no Hostelling Internacional San Francisco Downtown. O lugar é bem aconchegante, limpo, com recepcionistas simpáticos, cozinha grande, wi-fi e uma localização excelente, próximo a Union Square.

san_francisco_bonde

O único problema é que nesta região central tem muito mendigo, mas é em downtown que estão as baladas, restaurantes, bares, lojas e shopping.

Transporte público

Ao contrário de outras cidades da Califórnia, eu achei que o transporte público de San Francisco é eficiente. Comprei o passe do dia na Walgreens e pude fazer quantas viagens precisei por um valor fixo.

Muitas pessoas não pagavam as passagens, mas achei melhor não arriscar, gosto de fazer o certo.

O importante é que a cidade encanta logo a primeira vista. Nem eu e nem ninguém que eu conheço conseguiu explicar direito o motivo de tanto encantamento. Se você descobrir, compartilha aí nos comentários!

Saiba o que fazer em San Francisco?

Como ir de Los Angeles a San Francisco de ônibus!

O que fazer no Chile no verão?

Comecei a pesquisar sobre o Chile, me encantei pelo país e decidi que tinha que conhecê-lo. Minhas férias eram em fevereiro. Pensei se seria uma boa ir ao Chile no verão e decidi que sim.

Na verdade eu ainda tenho que visitar mais lugares por lá, mas eu comecei pelos pontos mais tradicionais.

Como ir do aeroporto ao centro de Santiago?

Eu e uma amiga chegamos a Santiago numa sexta-feira de fevereiro quase de madrugada. Do aeroporto até o hostel pegamos um táxi tradicional. Lá também há a opção de acertar o valor antes de chegar ao local. de destino.

Eu sinceramente prefiro usar o taxímetro, que geralmente sai mais barato ou pelo menos é mais justo.

Hospedagem no Chile

Ficar em um hostel foi muito importante para a nossa viagem ser ainda mais divertida, pois além de ser mais barato, é possível conhecer pessoas do mundo todo, inclusive brasileiro, trocar informações e conhecer culturas diferentes.

Hostel

Ficamos no Hostel Bellavista, que eu recomendo, pois é limpo, confortável, perto do metrô, da Plaza Italia, da avenida Providencia, de parques e fica em um bairro que tem vários bares, baladas e restaurantes.  Por isso, apesar de chegarmos tarde, fomos aproveitar um pouco da vida noturna da cidade.

Passagem aérea

Nós compramos as passagens aéreas pela Pluna, mas ainda bem que esta empresa não existe mais, porque os aviões eram horríveis, minúsculos, tinha que comprar a comida e na volta eles cobraram pela bagagem, o que não é permitido no Brasil, mas liberado no Chile.

Saiba como foi a minha viagem pelo Chile e tenha algumas dicas!