O que fazer em Las Vegas?

As principais atrações de Las Vegas acontecem dentro dos hotéis, por isso, é legal passear por eles, e até se perder, para conhecer o que a cidade tem de melhor.

Na minha opinião, Las Vegas é um passeio incrível para quase todas as idades. Acho que os únicos que sofrem um pouco são os adolescentes, por não poderem entrar em bares e baladas, lembrando que aqui a maioridade é aos 21 anos

. A cidade tem uma ótima programação até para as crianças.

Onde ficar?

Eu me hospedei em um hotel mais em conta, o Fortune, mas ele era próximo a Strip. O café da manhã era ruim e não tinham atrações especiais, o mais errado é que mesmo assim você tinha que pagar uma taxa de resort.

Aliás, o resort fee é o que eles usam para aumentar os valores das diárias dos hotéis, ai parece que eles são mais baratos do que realmente são.

De qualquer forma, se você puder se hospedar em um hotel top e não tradicional, faça isso. Veja algumas opções aqui!

Onde comer?

Quem vai a Las Vegas geralmente se acaba nos buffets. Eles ficam dentro dos hotéis também e possuem opções para café da manhã, almoço e jantar. Neles você paga um valor fixo e come a vontade.

O que fazer?

Há atrações que são gratuitas, mas a maioria são pagas. Seguem os lugares que eu consegui visitar em um final de semana, fora a outlet e a balada.

1. Fremont Street Experience: fica em downtown e é onde estão os cassinos mais antigos da cidade e as lojas mais baratas de souvenirs. À noite, a rua conta com atrações musicais, artistas de rua fantasiados e um verdadeiro show de luzes no teto. Gratuito.

Fremont Street

2. Flamingo: atrás do hotel você pode ver flamingos e outros animais. Gratuito.

Flamingo

3. Sinal de Las Vegas: o famoso letreiro “Welcome to Fabulous Las Vegas” fica no início da Strip e é ponto de parada obrigatório para fotos. Gratuito.

4. Shark Reef, no Mandalay Bay: é um aquário que tem tubarões. Acho que paguei cerca de US$ 19 para visitá-lo.

Aquário

5. The Big Apple Coaster & Arcade, no New York New York: é uma montanha-russa que fica na área externa do hotel. Preço: US$ 14.

New York New York

6. Fontes do Bellagio: um espetáculo das águas que você pode ver várias vezes e não enjoar, lindo demais. Gratuito.

Bellagio

7. Jardim e Conservatório do Bellagio: ele fica no lobby do hotel e a decoração é trocada constantemente. Quando fui, o tema era o ano novo chinês. Gratuito.

Jardim Bellagio

8. Madame Tussauds: o museu de cera que tem bonecos de celebridades que parecem bem reais. Os valores variam bastante, pois há cupons de descontos que você ganha passeando pela Strip, mas acredito que seja cerca de US$ 19.

9. Siegfried & Roy’s Secret Garden e Dolphin Habitat, no Mirage: para quem quer estar perto de leões brancos, tigres brancos, panteras, leopardos e golfinhos. Preço US$ 15.

10. Volcano, no Mirage: é um show de água e fogo na frente do hotel. Sensacional. Gratuito.

11. Torre do Stratosphere: excelente para ver Las Vegas do alto, se você gosta de adrenalina, pode arriscar ir nos brinquedos nas alturas ou até mesmo pular de lá. Para subir na torre, o valor é de US$ 18.

Las Vegas

12. Circus Circus: o hotel oferece atrações circenses. Gratuito.

Circus Circus

13. Loja da M&M’s: fica perto do MGM e tem três andares para você se divertir e tirar fotos com os bonecos gigantes.

Você pode conseguir descontos para diferentes atrações, inclusive para comer, em uns quiosques espalhados pela cidade.

Veja os locais de compras e conheça as baladas de Vegas!

Comprar comida nos supermercados da Califórnia

Não dá para comer sempre fora quando se está viajando com a grana reduzida ou fazendo um intercâmbio. Sinceramente, eu até acho legal comprar comida nos supermercados, principalmente, nos Estados Unidos.

conte com a Praticidade americana

Eu tenho uma teoria sobre o país: se alguma coisa parecer difícil de fazer é por que você está fazendo do jeito errado. Então, abrir qualquer embalagem, preparar uma comida, tudo é muito pratico e geralmente rápido.

O arroz demora uns dez minutos para ficar pronto. O feijão vem em lata, mas sem tempero. Os legumes são congelados. Os leites geralmente têm sabores diferentes, de chocolate a amêndoa.

Há muitos pratos congelados e misturas prontas, tipo as de bolo. Águas de sabores variados também e as tradicionais sopas enlatadas são gostosas e baratas.

Eu amo manteiga de amendoim, então estava no paraíso. As panquecas no café da manhã de domingo também eram ótimas pedidas.

Duas coisas que eu descobri e sinto falta são: a pipoca pronta de vários sabores, que eu acho que era da Dr. Oetker, e as barras de cereais da Kellogg’s.

Qualidade, tamanho e preço

A qualidade dos alimentos é ótima. As saladas vêm lavadas, as frutas cortadas, mas não são baratas, não.

Parece que tudo é em tamanho família, mas, se você procurar bem, acha alguns produtos que não são em tamanhos exagerados.

Tudo tem uma versão light e com menos sódio, dá para tentar ser um pouco saudável.

Supermercados da Califórnia

Um dos meus passeios favoritos era ir ao Walmart, amava os cookies e quase tudo de lá.

Para mim, o forte da Target eram mais outros tipos produtos, como eletrônicos, higiene, maquiagem, sem ser os alimentos.

O Ralph’s e o Vons são bem comuns na Califórnia também, mas eu achava que eles eram mais caros.

Eu também gostava muito de ir ao Stater Bros, ficava perto da casa que eu morava, era mais barato e tinha café do Starbucks de caixa grande e de garrafinha.

Resumindo, os brasileiros podem se virar bem nos Estados Unidos, até aquele mito de que não há leite condensado por lá foi quebrado, achei várias latas no Walmart.

Saiba mais sobre as delícias da Califórnia!

Como não amar San Francisco?

Era o que eu me perguntava o tempo todo no final de semana que passei por lá: como não amar San Francisco? As casinhas vitorianas, os prédios com escadas de emergência externas, o clima, a paisagem, os parques, os bondes, não sei, acho que tudo isso junto me encantou.

Hostel em San Francisco

Fiquei hospedada no Hostelling Internacional San Francisco Downtown. O lugar é bem aconchegante, limpo, com recepcionistas simpáticos, cozinha grande, wi-fi e uma localização excelente, próximo a Union Square.

san_francisco_bonde

O único problema é que nesta região central tem muito mendigo, mas é em downtown que estão as baladas, restaurantes, bares, lojas e shopping.

Transporte público

Ao contrário de outras cidades da Califórnia, eu achei que o transporte público de San Francisco é eficiente. Comprei o passe do dia na Walgreens e pude fazer quantas viagens precisei por um valor fixo.

Muitas pessoas não pagavam as passagens, mas achei melhor não arriscar, gosto de fazer o certo.

O importante é que a cidade encanta logo a primeira vista. Nem eu e nem ninguém que eu conheço conseguiu explicar direito o motivo de tanto encantamento. Se você descobrir, compartilha aí nos comentários!

Saiba o que fazer em San Francisco?

Como ir de Los Angeles a San Francisco de ônibus!

Los Angeles a San Francisco de ônibus

Sim, a viagem de Los Angeles a San Francisco de ônibus é longa. São cerca de nove horas na estrada. Porém, acredito que o custo x benefício valha a pena.

Se você não tem grana para alugar um carro ou pagar uma passagem de avião, essa é uma alternativa para não deixar de conhecer a cidade.

Empresas de ônibus

Eu viajei pela empresa Califórnia Shuttle, o preço é sensacional, chegando a US$ 20 por trecho, mas não é assim muito confortável e o ônibus é antigo.

Uma outra empresa que custava cerca de US$ 50, a Mega Bus, me parecia melhor. Ônibus mais novos, com wi-fi e tomadas.

Locais de saída e de chegada

Os dois possuem saídas da Union Station, em Los Angeles, mas eles passam por outros pontos de paradas pela cidade e por Santa Mônica.

Eu desci na Union Square, em San Francisco, bem pertinho do meu hostel, mas também há outras paradas por lá. Vale verificar o itinerário!

Valores e estrada

Os preços variam de acordo com a data de compra, quanto antes melhor.

A estrada é bastante tranquila. A paisagem muda um pouco no decorrer da viagem, mas o que me deixou impressionada eram as lavouras secas por causa da falta de chuva. Dava até dó.

Saiba o que fazer em San Francisco!

Veja as atrações de Los Angeles!

Como assistir um jogo de hóquei no gelo na Califórnia?

Quando fui aos Estados Unidos, tinha certeza que algum jogo eu assistiria. Minha ideia inicial era ver uma partida dos Lakers, mas por ser longe e tarde, optei por um clássico do hóquei no gelo: Ducks x Jets – EUA x Canadá.

Como chegar a arena?

O Honda Center, casa da equipe americana, fica em Anaheim, pertinho de Tustin de carro, mas dois ônibus e mais de uma hora de distância para mim.

Sai mais cedo de casa para tentar garantir o meu ingresso, mas tive a sorte de perder o segundo ônibus.

Conclusão: Honda Centertive que ficar um bom tempo esperando até passar o próximo, cheguei em cima da hora e corri o risco de não conseguir entrar.

Mas, sim, isso foi sorte. Graças ao atraso, um torcedor, que estava com o filho, me ofereceu o ingresso da esposa e consegui um lugar espetacular no ginásio. Paguei US$ 30 por um convite de US$ 100.

Como é assistir ao jogo?

O local era incrível, o jogo foi muito divertido e a torcida era contida, mas apaixonada. Os Ducks perderam, mas não houve nenhuma briga com os canadenses, que dividiam civilizadamente a mesma arquibancada.

Comprar iNGRESSO

Dica: é sempre melhor optar pela compra antecipada de ingressos para qualquer coisa nos Estados Unidos. Outra coisa, não pode entrar com comida no ginásio.

Veja o que mais dá para fazer de diferente na Califórnia!

Finais do NFL e Super Bowl nos Estados Unidos!

Orange County: Irvine Regional Park e Holiday Skate Center

Durante o feriado em homenagem ao Martin Luther King, decidi passear por Orange County.

Como chegar ao parque?

Peguei a minha bicicleta, olhei as coordenadas no Google e parti para o Irvine Regional Park. Peguei um ônibus e resolvi fazer o restante do percurso pedalando. Que erro!

Me perdi e ninguém conhecia o parque. Aliás eu achei que a galera da Califórnia não era muito boa para dar direções e conhecer lugares.

Segui a direção lógica até o parque e fui mais pela intuição. Mas a pior parte mesmo é que eu tive que encarar várias subidas.

No fundo, errar o caminho foi bom. O caminho certo tinha uma subida que eu certamente não encararia, pior que todas as outras juntas.

Irvine Regional Park

O Irvine Regional Park é um lugar bem agradável. È grande, tem cavalos, pôneis, passeio de trenzinhos, pedalinhos, aluguéis de bicicletas, muita área verde e um zoológico.

Irvine Regional Park

O Orange County Zoo não tem muitos bichos, os destaques são os leões da montanha, o urso, os coiotes e a bald eagle, aquela águia que é símbolo dos Estados Unidos.

Orange County Zoo

Holiday Skate Center

A próxima parada, feita também de bicicleta, foi o Holiday Skate Center, só por curiosidade, skate para eles é aquele patins com duas rodas paralelas na frente e atrás.

Holiday State Center

Eu amo andar de patins, então fiz questão de passar a tarde numa balada à la anos 80 em um ringue de patinação. Lá tem festas temáticas e divididas por idade. Vale olhar a programação.

Você paga para entrar e para alugar o patins, mas é tudo pelo tempo que durar a sessão, geralmente três horas.

Veja mais post sobre Califórnia!

Futebol americano: final do NFL e Super Bowl nos EUA

Durante a minha estada nos Estados Unidos, pude presenciar dois eventos importantes para o esporte do país:a final do NFL e o Super Bowl. Com isso, tive domingos tipicamente americanos. Morei na casa de um casal composto por um americano e uma coreana, ele um apaixonado por futebol americano e ela nem aí para o esporte.

Final da NFL

Assistimos a final da Conferência Nacional da NFL, entre o Seattle Seahawks e o San Francisco 49ers, pela televisão. Estávamos torcendo para a equipe californiana, mas ela acabou saindo derrotada.

O americano tentava me explicar o jogo e a coreana se lembrou que um dos importantes jogadores do país era casado com uma modelo brasileira, vulgo Tom Brady e Gisele Bündchen.

A paixão se compara ao futebol no Brasil. Um domingo a tarde, todas as tvs ligadas nos canais de esporte, mas é diferente no quesito torcida, eles não brigam por causa dos times.

A bebida oficial é a cerveja, aquela clássica long neck, e os aperitivos bem gordos. Comi batata doce frita, frango frito e pizza.

Os jogos tem muitos intervalos, todos com propagandas milionárias.

Super Bowl

O segundo domingo marcante foi a final do Super Bowl, que parou o país, tipo final de copa do mundo. Muitas festas e bares lotados. Torcedores de vários times uniformizados e dividindo os mesmos espaços.

Eu estava em Las Vegas nesta ocasião nas chamas Super Bowl party, mas uma experiência marcante na terra do Tio Sam.

Quer ver um jogo de hóquei no gelo no ginásio? Veja como no Nah Estrada!

Onde assistir o pôr do sol na Califórnia?

Se é para escolher o que eu mais gostei da Califórnia, eu fico com o pôr do sol. Sério, o pôr do sol na Califórnia é um espetáculo diário. Parece que o céu do estado é gigante e que há tantas cores diferentes que eu nem sabia que poderiam existir.

Ver o por do sol na Califórnia é tradição!

Laguna Beach

Em qualquer local que eu estava, parava para admirar essa beleza natural. Na verdade, essa é uma tradição bastante comum, de San Diego a San Francisco: ir à lugares bonitos para admirar o por do sol..

O meu sunset favorito

Na minha saga para desbravar o litoral californiano, passei uma tarde em três praias de Laguna Beach: Aliso Beach, Treasure Island e Victoria Beach. Elas são simplesmente Ma-ra-vi-lho-sas.

Mas o por do sol na Treasure Island para mim foi inesquecível. Engraçado que parece que até hoje fecho os olhos e me imagino naquela tarde.  Lembro de ter vivido um daqueles momentos que você agradece por poder ter desfrutado.

A verdade é que dificilmente você vai conseguir se esquecer do pôr do sol na Califórnia. Que me desculpe os outros lugares, mas para mim é o melhor do mundo – pelo menos do meu mundo.

Para tentar transmitir isso, as fotos do post são totalmente sem tratamento e sem filtros.

Quer saber mais sobre a Califórnia? Confira os posts do Nah Estrada!

Multa de trânsito em Los Angeles

Sim, eu consegui tomar uma multa de trânsito em Los Angeles. Confesso que na hora que li a notificação fiquei bem irritada, afinal o valor era de, pasmem, US$ 68.

Multa em Los Angeles

Motivo da multa

O motivo dá multa foi estacionar em local proibido, tudo isso, por que eu estava cansada de tentar procurar por uma vaga, com parquímetro mesmo, em torno da Hollywood Boulevard e não queria gastar muito dinheiro parando em um estacionamento.

As placas de permitido parar em Los Angeles têm várias restrições de horário e dia, achei que estava na faixa permitida e esqueci de ler as letrinhas que ficavam embaixo. Elas diziam que só os moradores do local poderiam parar lá.

Tentei não pagar

O pessoal da minha escola tentou recorrer da multa, explicar a situação, que eu era estrangeira, mas nada adiantou. Se eu não pagasse, minha professora disse que como o carro era alugado a locadora descontaria do meu cartão de crédito e com multa por atraso de pagamento. Conclusão: paguei.

Alguns colegas de escola tinham várias multas e não pagavam, mas ninguém sabia no que isso podia dar. Pelo o que escutei, é comum ser multado em LA.

Como fiz o pagamento

Fiz o pagamento pela internet, mas existia a opção de mandar por correio, telefone ou pessoalmente.

Passou o perrengue? Saiba o que fazer de legal na Califórnia!

Como escolher a sua escola de intercâmbio?

Uma tarefa bem difícil na hora de fazer um intercâmbio é saber como escolher a sua escola de intercâmbio. Eu decidi primeiro a cidade em que  gostaria de morarDepois pesquisei pelas escolas daquela região. Nessa escolha entra novamente seus objetivos e tempo de viagem.

Vistos

Se você tem um visto de estudante, não tem limite com horas de estudos, mas se seu visto for de turista não vai dar para estudar o dia todo. As escolas geralmente estão preparadas para essas situações e irão lhe oferecer um programa compatível com cada visto e tempo de viagem.

Preços

Os preços dos cursos são os mais diversos e dá até para estudar de graça em colégios públicos nos Estados Unidos que oferecem aulas de inglês. Esse curso é chamado de ESOL (English for speakers of other language), mas não dá para se inscrever antes de chegar ao país.

dez itens para levar em conta ao escolher a sua escola de intercâmbio:

1. Qualidade dos professores
2. Estrutura da escola
3. Localização
4. Método de ensino
5. Taxas extras e preço dos materiais
6. Quantidade de alunos por sala de aula
7. Horário das aulas
8. Nacionalidade dos outros estudantes
9. Opinião dos alunos que já passaram pela instituição
10. Data de início dos cursos

Saiba mais sobre a LASC – American Language and Culture, a escola em que eu escolhi para estudar.

Veja como escolher onde morar durante o seu intercâmbio.