Roteiro Milão

Roteiro de dois dias em Milão: Dia 1

Dá para fazer um roteiro de dois dias em Milão? Dá! Eu queria ter ficado ao menos um dia a mais? Sim! Mas mais pelo motivo de que gostei da cidade e não porque não deu tempo de ver as principais atrações.

Acredito que o que contribuiu muito para o meu encantamento por Milão foi ter ido durante a Semana de Design. Haviam muitas instalações espalhadas pela cidade e em pontos turísticos. Foi uma quebra ao que eu até então tinha visto da Itália.

Não fiquei total no centro como expliquei no post anterior e vou montar um roteiro a partir do meu tempo de viagem e localização de hospedagem. Vamos lá!

Aviso: Nesse dia eu não usei transporte público, foi tudo a pé mesmo. As coisas não eram tão próximas. Andei bastante!

Manhã em Milão

Comecei a andar por Milão mais ou menos às 13 h. Cheguei 12 h na cidade. Por esse motivo, não fiz nada pela manhã.

Acho que você pode fazer esse mesmo roteiro se tiver o dia todo, só que com mais calma. Ou ir para o bairro de Navigli visitar lojas de artesanato e livrarias e admirar os prédios antigos, as pontes e os canais.

É só separar as atrações e montar o seu roteiro de acordo com o seu tempo, está bem?

Almoço “barato”

Na Via Vittor Pisani tem vários restaurantes. A área é bastante comercial com vários prédios empresariais. Durante à noite é bem vazia. O preço da comida é mais alto em relação aos outros locais que visitei da Itália.

Consegui achar um restaurante especializado em peixes que era gostoso, saudável e mais em conta. Para variar, esqueci de anotar o nome do local. Vou ser uma blogueira melhor.

Corso Como

Fui em direção à Porta Garibaldi que é um monumento. Ao lado dela está o Eataly. Dá para já comer uma sobremesa e aproveitar o Wi-Fi. E na frente a Corso Como.

A Corso Como é um calçadão com cafés, galerias e lojas com um visual incrível. Sério, eu amei esse lugar. A decoração, a vibe, tudo.

O destaque é a 10 Corso Como. Você entra por uma portinha e não dá nada pelo lugar. No térreo há um restaurante/café/bar e uma loja. Nos andares de cima tem uma livraria maravilhosa, uma galeria de arte e um terraço que tinha até uma Ferrari exposta.

Parque Sempione

O Parque Sempione é bastante grande, bonito e tem várias atrações, como: monumentos, museus, aquário e até um palácio. Visite o Arco della Pace, Arena Civica Gianni Brera, Torre Branca, La Triennale di Milano e Castello Sforzesco.

Quando fui ainda tinha um evento de música eletrônica rolando no local.

Próximo ao parque você pode visitar a Basilica Di Santa Maria Delle Grazie e a Igreja di San Maurizio al Monastero Maggiore. Religioso ou não, as igrejas são sempre bons passeios na Europa.

Para quem gosta de fazer compras ou ver lojas, em frente a saída do castelo do parque fica a Via Dante. A rua conta com conta lojas como a Lush, a Sephora, a Lacosta, a Chicco e outras mais.

Noite em Milão: Brera

Terminei a noite no Brera que é um bairro muito animado de Milão. Lá tem vários bares, galerias, restaurante e prédios antigos. Ele abriga a Pinacoteca de Brera que é bastante conhecida.

Como falei, fui na Semana de Design a Milão. Por esse motivo, o bairro estava recheado de festas. Algumas lojas estavam abrindo os seus showrooms e artistas expondo suas obras. Era um fervo só.

Dia 2 do roteiro de dois dias em Milão!

Compras em Milão: chiques e acessíveis!

Hospedagem em Milão!

Hostel em Milão

Hospedagem em Milão: Um hostel bem estruturado

Quando programei a minha viagem à Europa, decidi comprar as passagens primeiro, por ser bem mais barato adquirir com antecedência. Para mim, acomodações eram a parte que se gastava menos da Eurotrip. Até que procurei hospedagem em Milão.

Isso já tinha acontecido antes comigo em Nova York, vi uma passagem barata e comprei. Depois descobri que o caro lá era mesmo um lugar para dormir.

Comecei a pesquisar hospedagens e vi que tudo era muito caro, o dobro dos outros lugares que eu estava vendo em outros pontos da minha viagem até ali. O alívio veio quando lembrei que só precisava de duas diárias.

Quando fui estava acontecendo a Semana de Design de Milão. Talvez as altas no preço eram por esse motivo. Não tenho certeza!

Localização

Depois de muita pesquisa, uma recusa no Airbnb, optei por ficar no Ostello Bello Grande. O hostel é muito bom e próximo à estação Milano Centrale. Há outra unidade perto do Duomo, mas eu tinha que pegar um trem bem cedo e acabou sendo a melhor opção.

Apesar de longe das atrações centrais, é bem servido de transporte público.

Reserva

Eu reservei direto pelo site do Ostello, mas ele está disponível no Booking – com uma nota altíssima. Não fechei por lá, pois na ocasião não havia cancelamento gratuito e eu queria ter essa liberdade.

Estrutura

A estrutura do hostel é fantástica. Ele tem Welcome Drink, um bar bastante agitado, jogos, amplo espaço de convivência, terraço, cozinha e churrasqueira. É bastante limpo e organizado. A decoração é bem legal e contemporânea.

Foi a minha primeira vez no topo de uma triliche e de ter uma menina exalando álcool e cheiro de cigarro dormindo no mesmo quarto do que eu. Tivemos que dormir com a porta da sacada aberta no frio.

Ah, tem banheiro dentro do quarto. Não sei se em todos.

Atendimento

Os funcionários foram bastante solícitos. Desde a chegada fui muito bem recepcionada. Tive que esperar um pouco para dar a hora do check in. No check out também foi ótimo, pediram um táxi rapidamente para eu ir até a estação. Além de me ajudarem com informações de transporte e walking tour.

Comida

O Ostello oferece café da manhã incluso no valor da diária e macarrão no jantar. Além de ter alguns snacks – tipo bolinhos e bolachas – gratuitos que ficam na cozinha. Acho que eles tinham patrocínio de alguma marca de massas, tinham embalagens a disposição do hospede caso ele quisesse prepara-las.

Saiba o que fazer em Milão!

Florença a Milão

Como ir de Florença à Milão? De trem!

O trem é sem dúvida a melhor opção para se ir de Florença a Milão. Além de ser a forma mais rápida, pode ser também bastante barato se a passagem for comprada com antecedência. A diferença de valor é enorme.

Já fiz um post dando dicas para economizar na compra das passagens de trem. Vale conferir!

Escolha o seu trem

Por questões financeiras, decidi pegar o Intercity e demorei mais do que se eu tivesse optado pelo Frecciarossa ou o Frecciargento. É a metade do preço, mas o dobro do tempo. Então, vai do que se encaixar melhor na sua viagem.

Para entender melhor a diferença entre os tipos de trens, vale dar uma olhada em um outro post em que expliquei como andar de trem pela Itália.

No Intercity, você leva quase 4 horas e no Freccia cerca de 1h 40. Se tiver grana, vale investir em uma viagem mais rápida para aproveitar melhor o próximo destino. Nessa altura, na minha trip, uma horinha a mais dormindo no trem não era uma má ideia.

Resumo da minha viagem

Empresa: Trenitália

Tempo de viagem: 3h54

Tipo do trem: Intercity 580

Valor: 9 euros

Saída: Firenze S. M. Novella

Chegada: Milano Centrale

Milano Centrale

Tinha ouvido falar que a estação central de Milão era um pouco perigosa. Cheguei tensa e notei que em volta e até dentro haviam moradores de rua e pedintes. Fui andando até o hostel, que era perto, foi tranquilo, mas fiquei bastante atenta.

Acredito que os cuidados básicos precisam ser tomados, como: prestar atenção na sua bagagem, não ficar andando com o celular a mostra, não se distrair com nada e nem aceitar ajuda de qualquer um. Se mora no Brasil, já deve fazer isso.

Buon divertimento!

Dicas para combater os batedores da carteira na Europa!

Saiba onde se hospedar em Milão!

Minha primeira viagem pela Europa

Viajar pela Europa, visitar vários países, fazer aquele mochilão, sempre foi meu sonho e deve ser o de muita gente também, claro!

Como mencionei no post: “Como planejar uma viagem pela Europa“, eu já tinha em mente quais os países que gostaria de conhecer, mas tive que fazer pequenas modificações por causa de dinheiro, tempo ou lógica de rota.

Vou resumir aqui o meu roteiro de viagem, mas depois vou destrinchar tudo em outros posts, para quem sabe ajudar alguém a começar organizar a sua própria trip ou simplesmente entender o meu mochilão como um todo.

Viajei entre março e abril por cerca de 40 dias.

Portugal

Comecei a viagem por Portugal, o que foi bom para me familiarizar com a Europa sem deixar de me sentir em casa.

Lisboa_Portugal

Bate e volta: Sintra. Poderia ter feito Cascais ou Óbidos, mas no dia programado estava chovendo.

Tempo de permanência: 5 dias

Como cheguei: avião.

Tempo de permanência: 3 dias

Como cheguei: trem.

Espanha

O ambiente já era outro, as pessoas também, não era como eu imaginava, conseguia ser melhor.

Barcelona_espanha

Tempo de permanência: 4 dias

Como cheguei: avião.

Tempo de permanência: 5 dias

Como cheguei: trem.

Itália

Sempre quis conhecer a Itália e quando pisei nela, me apaixonei. Não queria mais ir embora!

Roma_itália

Bate e volta: Castel Gandolfo, região do Lácio.

Tempo de permanência: 5 dias

Como cheguei: avião.

Bate e volta: Pisa e Lucca.

Tempo de permanência: 3 dias

Como cheguei: trem.

Tempo de permanência: 2 dias

Como cheguei: trem.

França

Não estava nos meus planos iniciais, mas pela lógica da minha rota de viagem, inclui e não me arrependo nem por um segundo.

Paris_franca

Tempo de permanência: 4 dias

Como cheguei: trem.

Holanda

As flores, o clima e as bicicletas. Precisa de mais para querer muito conhecê-la? Para mim, não!

Amsterdam_Holanda

Tempo de permanência: 3 dias

Como cheguei: ônibus.

Inglaterra

Não sei nem o que falar, apenas sentir. Muito amor!

Londres_Inglaterra

  • Londres

Tempo de permanência: 5 dias

Como cheguei: ônibus.

Os lugares que tive que abrir mão: Suíça, Bélgica e Alemanha. Fica para a próxima!

Acompanhe todos os posts sobre a Europa!