Palace - Gossip Girl

Roteiro Gossip Girl em Nova York

Assumo, sou fã de Gossip Girl e não poderia ir à NYC sem visitar os lugares que meus personagens favoritos viveram os seus conflitos e amores.

  • The Empire Hotel: hotel do Chuck.
  • Lotte New York Palace: hotel do pai do Chuck em que Serena e sua família viveram por um tempo.
  • Dylan´s Candy Bar: loja de doces que o Dan e a Vanessa passearam em um dos episódios.
  • Museum of the City of New York: local que servia de cenário para a Constance.
  • The Metropolitan Museum of Art: escadaria que a Blair dominava em seus tempos de colégio.
  • NYU: universidade que o Dan, a Blair e a Vanessa estudaram.
  • Central Park: o lago com os patos que a Blair gostava de alimentar e o que tem os barquinhos. Os cenários de festas e inclusive do casamento da Blair e do Chuck.
  • Empire State: onde o Chuck e a Blair se desencontraram.
  • Times Square: o telão que a Serena apareceu em uma de suas cenas românticas.
  • Dumbo: bairro do Brooklyn que o Dan morava.
  • Upper East Side: ande, ande e ande por lá.

Enfim, uma boa parte de NYC serviu de cenário para a série e se você é fã, vai reconhecer cada parte dela.

Roosevelt Island

Rockefeller Center e Roosevelt Island

Antes de mais nada eu queria compartilhar não uma, mas duas experiências muito legais e inesquecíveis que eu tive nessa região de Nova York.

Vi o Papa e o Obama em Nova York

A primeira é que quando estava visitando a loja da Apple notei uma movimentação muito estranha, várias equipes de TVs, e decidi ver o que estava acontecendo. Nada mais, nada menos que o Papa iria passar por ali.

Para em NYCEle celebraria uma missa na St Patricks Cathedral que fica naquela mesma rua e vale a visita por ser bem bonita. Consegui ficar em frente a grade de proteção e o fofo do Francisco passou assim na minha frente, foi rápido, mas foi lindo.

O mais bizarro é que quando descobri que ele estaria em NYC eu praticamente tentei fazer um roteiro para não encontrá-lo, pensando na quantidade de pessoas que estariam atrás dele, além dos bloqueios e lugares que poderiam fechar.

Em um outro dia, atrás da Catedral, eu estava para atravessar a rua quando colocaram uma grade na minha frente, de repente começaram a passar muitos carros com chefes de Estado, entre eles, o Obama, pois estava rolando uma reunião da ONU. Muitas emoções!

Rockefeller Center

Voltando para os lugares que merecem uma visita em Nova York, está o Rockefeller Center. A praça que fica em frente já é bem legal, com bandeiras de vários países, flores e fontes. Dentro do prédio, no seu topo, está uma vista MA-RA-VI-LHO-SA da cidade. Perfeita para curtir o pôr-do-sol.Top of The Rock

Próximo ao Top of The Rock está o Radio City Music Hall, uma casa de shows que rola inclusive o VMA. Tem tour interno, mas não sei os dias.

Roosevelt Island

Um passeio não muito comum, mas que é bem legal e tem uma vista bacana de NYC, é o de bondinho para a Roosevelt Island.

Ele sai da 59th com a primeira avenida e vai paralelo a Queensboro Bridge. É um transporte público e você pode usar o Metrocard para embarcar.

Mais surpresas e locais especiais em NYC!

Grand Central Terminal

Flatiron Building, Empire State e Grand Central Terminal

Como disse em um post anterior, é difícil pensar em como organizar os assuntos para falar de Nova York.

Então, nesse texto vou colocar as atrações sem separar por bairro, mas por lugares que são próximos e seguem um lógica de visita.

Union Square

Você pode começar o seu passeio pela Union Square, uma praça meio hiponga com pessoas fazendo performances, rezando, cantando e pedindo dinheiro. Tem feirinha de produtos orgânicos também. Em volta há lojas e restaurantes.

Flatiron Building

Subindo você sai no Flatiron Building, que é um prédio bem estreito e triangular.

Flatiron_Building

 

Madison Square Park

Próximo a ele fica o Madison Square Park, conhecido por seus espetáculos musicais, quando fui estava tendo um de música vietnamita.

Aqui tem ainda parquinhos e o Shake Shack que é uma hamburgueria com lanches deliciosos e filas gigantes.

Outra opção para comer por ali, que é excelente por sinal, é o Eataly. O mercado tem vários restaurantes com comidas e bebidas típicas italianas. Vale fazer as comprinhas lá, estender a canga no parque e fazer um piquenique.

Empire State

Subindo mais um pouquinho, está o Empire State, conhecido por proporcionar uma vista incrível da cidade em seu topo.

Empire_state

 

Andando mais um pouquinho em direção ao Hudson River está o Madison Square Garden, um complexo esportivo em que ocorrem grandes shows também.

Bryant Park

Mais para cima da ilha está o Bryant Park, muito fofinho, com muitas flores, no verão tem música e até cinema.

Nele fica a New York Public Library que já foi cenário de alguns filmes, com o Caça Fantasmas.

Grand Central Terminal

Ainda perto, só que nisso você já andou que nem louco, nem percebeu e já está morrendo, está o Grand Central Terminal, aquela estação central que aparece em muitos filmes. Ela é muito linda e traz ótimas lembranças.

Veja mais atrações de Nova York!

Atrações no Soho, no Village e no Chelsea

Ande muito por esses lugares, descubra as galerias de arte do Soho, as casinhas do Village, as comidinhas do Chelsea e se apaixone por tudo.

Chelsea

Em um dos dias que fui, era um sábado, estavam rolando várias feirinhas gastronômicas nas ruas e avenidas do Chelsea.

Uma das principais atrações do bairro é o Chelsea Market, ele fica lotado. Tem muitos lugares para comer, o que mais me chamou atenção era um que tinha vários tipos de frutos do mar e uma lagosta de dar água na boca.

NYC_high

Outra opção para comer, gastar menos e não pegar filas, são quilos dentro dos mercados.

Você vai colocando dentro do potinho o que quer e depois pesa no caixa e pode comer no parque ou em praças.

O Sleep no More Theater é uma peça de teatro que não tem falas, só performances. Você anda por um hotel mal assombrado e vai encontrando os atores. Vale a experiência!

Village

No Village, fica a Magnólia Bakery, que eu nem achei tudo isso de sabor, mas fiz questão de provar os famosos cupcakes do Sexy and the City.

Aqui também tem vários clubes de Jazz, o Fat Cat fica em um porão e é barato para entrar.

O Washington Square Park fica perto da NYU, a Universidade de Nova York, tem tipo um “Arco do Triunfo” e é um lugar em que moradores, turistas e estudantes gostam de passar as tardes.

High Line

Outro parque que é imperdível, principalmente para os paulistanos, é o High Line. Ele é bem extenso, e foi construído em uma antiga ferrovia.

A ideia é que o Minhocão em São Paulo seja assim um dia, e se for, vai ser ainda mais legal do que o de NYC, por ser mais largo.

Andando pelo High Line é possível ver grafites, entre eles, obras do Kobra e dos Gêmeos.

Kobra em NYC

Legal curtir o final da tarde às margens do Hudson River.

Entre o Lower Manhattan e esses bairros citados acima ficam a Chinatown e o Little Italy, vale dar uma andada, mas não achei nada demais.

Passeie por outros bairros de Nova York!

Lower Manhattan: Civic Center, Financial District, WTC e Estátua da Liberdade

O Lower Manhattan é a área que fica perto da Brooklyn Bridge e abrange o Civic Center e o Financial District. 

Curtir um entardecer às margens do East River, entre as pontes Brooklyn e Manhattan é sensacional. Pôr do sol incrível!

Brooklyn Bridge

Civic Center

No Civic Center você pode visitar prédios do governo como a City Hall e a Court House.

Próximo também é possível conhecer o African Burial Ground National Monument que é um memorial que homenageia os escravos. O local foi um cemitério de africanos no período colonial.  

Na região tem diferentes opções de restaurantes, lanchonetes e groceries.

Eu comi em um lugar que tinha comidas saudáveis e orgânicas, o Pret A Manger, a comida era variada e gostosa.

World Trade Center

O local onde ficava o World Trade Center exige silêncio, o local ainda mexe bastante com os americanos e é triste.

 World Trade Center

No lugar das torres existem duas piscinas, eles chamam assim, em que a água escorre para baixo, ao redor estão os nomes das pessoas que morreram no atentado.

Há ainda um museu, que eu não visitei.

Financial District

Na região do Financial District você pode visitar a famosa bolsa de NY, na Wall Street.

Charging BullPassar a mão no chifre, focinho ou nos testículos do Charging Bull, que é a estátua de um touro, para atrair dinheiro. E visitar a Igreja da Trindade, que tem uma arquitetura legal.

Andando pelo bairro, mais às margens do rio, é possível ver muitos bares, que os engravatados vão para fazer happy hours.

Fui à Oktoberfest em um dos pier. A experiência de ir à uma festa ao ar livre com uma vista maravilhosa foi IN-CRÍ-VEL. Alguns navios que são verdadeiras baladas saem dali.

Descobri a festa no Times Out New York, tem o aplicativo e o site, lá é possível ver os eventos que estão rolando na cidade.

Estátua da Liberdade

Na ponta da ilha fica o Battery Park, onde saem os tour pagos para a Estátua da Liberdade, e é legal também para ver o pôr-do-sol.

Você não pode subir na Estátua da Liberdade desde que ocorreram os atentados, então, eu acho, que vale a pena pegar o navio gratuito, o Ferry to Liberty Statue, para conhecê-la mais de perto, mas sem parar na ilha.

Veja outros bairros que valem a visita em Nova York!

Brooklyn

O que fazer no Brooklyn em NYC?

O Brooklyn é grande e segmentado entre seus moradores de acordo a nacionalidade, a raça e o estilo de vida.

Eu estava hospedada em uma área de judeus de um lado da avenida, tinham algumas ruas que eram de cubanos do outro lado e por ai vai.

Williamsburg

Williamsburg é o lugar da moda, muitos restaurantes, bares, lojas, gente descolada, arte de rua. Se você tiver que escolher um único dia da semana para conhecê-lo, vá em um sábado.

Você pode tomar o seu café da manhã ou fazer um brunch no Egg, que fica em uma travessa da Bedford, e é delicioso.

Passeie pela Bedford com suas barraquinhas de artesanato, roupas, discos, flores, bijuterias.

Brooklyn

Visite os parques e veja o que a galera local faz aos finais de semana, são crianças treinando, adultos jogando com os seus times, passeando com o cachorro.

Tudo isso com muita ordem, visto que cada grupo tem uma cor de camisa.

Uma coisa bizarra que eu vi foram uns treinadores xingando muito e exigindo demais de crianças que estavam jogando Futebol Americano, uma chegou a ser expulsa do treino.

Rola ainda tipo uma feira livre e tem praças só para cachorros.  

Em um galpão, há o que eles chamam de bazar, é tipo uma feirinha de artesanato, vende coisas lindas e diferentes, mas achei caras, talvez com o dólar mais baixo eu teria feito a festa.

Você pode almoçar na Smorgasburg que é uma feirinha gastronômica grande às margens do East River, com muita comida orgânica e diferente, mas tem tradicional também, música e bebidas.

Smorgasburg

Para fechar, vá a Brooklyn Brewery! A fábrica de cerveja oferece tours guiados aos finais de semana de hora em hora e tem um bar em que você pode provar as bebidas.

Como não vende comida, eles permitem que você leve o que quiser para comer.

Brooklyn Museum e Prospect Park

Um pouco mais para baixo do Brooklyn fica o meu museu preferido, o Brooklyn Museum, que eu já comentei em outro post, o Jardim Botânico, que é gigante, e o Prospect Park, que é maior ainda e eu ainda não sei se gosto mais dele ou do Central Park.

A biblioteca pública também fica nessa região e é muito bonita.

Há também o Barclays Center, casa dos Nets e lugar em que shows grandes acontecem.

Dumbo

Mais próximo a ilha de Manhattan fica o Dumbo, que também é um bairro simpático com as suas ruas de pedras, prédios de tijolinhos, docerias, cafés e galerias de arte.

Tem um parque que fica às margens do East River com o Jane´s Carousel entre a Brooklyn e a Manhattan Bridge. Lugares que aparecem com frequência em filmes e seriados.

Brooklyn

E, é claro, o passeio mais que obrigatório em uma viagem a NYC: atravessar a Brooklyn Bridge andando. É lindo, é mágico e não cansa nadinha.

Veja também as atrações do Bronx e do Queens!

Nova York: economizar com o dólar alto

Claramente a vida está menos fácil para quem vai para os EUA com o dólar nas alturas e em tempos de crise. Então, ai vão algumas dicas para deixar a sua viagem mais econômica.

16 dicas para economizar em NYC

  1. Se joga no metrô, ele é 24 horas e tem em quase todos os lugares.
  2. Esqueça o táxi ou até mesmo o shuttle do aeroporto até o seu lugar de hospedagem e vá de transporte público.
  3. Hospede-se fora de Manhattan.
  4. Encha sua garrafinha de água nos parques, museus e restaurantes. Parece besta, mas cada garrafa de água custa em torno de US$ 1 e US$ 2, chegando a US$ 3 em alguns lugares.
  5. Use wi-fi público e do seu local de hospedagem. Na rua, você pode se virar bem com um mapa do Google Maps com os pontos do seu interesse e um app do metrô que tem as linhas offline, eu usei o Subway.
  6. Presta atenção quando for visitar um museu se o preço é fixo ou sugerido. Se for sugerido dê o quanto puder, vi um menino pagando US$ 2 e não recebeu nem uma cara feia em troca. Eu decidi pagar US$ 5 em todos.
  7. Há muitos museus que em determinado dia da semana e horário é de graça.
  8. Quando for escolher um local para comer aproveite para carregar o celular, usar o wi-fi e o banheiro.
  9. Compre comidas no mercado. Você pode fazer piquenique nos muitos parques que tem pela cidade.
  10. Se for fazer compras, vá para uma outlet em Jersey, as taxas são mais baixas e os preços das roupas também.
  11. Ande bastante para descobrir o que a cidade tem de melhor.
  12. Eles ficam putos, mas dê gorjeta de acordo com o merecimento do atendente. Não se sinta na obrigação, pois cada dólar gasto é bastante dinheiro para gente.
  13. Visite a Estátua da Liberdade com um Ferry público, ele não desce na ilha, mas não faz muito diferença, já que atualmente não é possível subir na estátua.
  14. Pegue o bondinho que vai até a Roosevelt Island. É o preço de uma passagem de metrô e se você pegar o bilhete semanal, é só passar ele lá. A vista é legal e é um passeio diferente.
  15. Não se esqueça que os preços que vemos está sem imposto, eles colocam na hora, no caixa.
  16. Saiba como comprar dólares da maneira mais barata possível.

Veja todas as atrações de NYC que eu visitei!

NYC

Nova York: voo, translado, hospedagem e cotação

Todo mundo que vai para Nova York se apaixona, simples assim.

Foi no meio de muitos depoimentos e declarações de amor pela cidade que decidi que lá seria o destino das minhas férias.

Outros dois pontos também foram decisivos: ser um lugar em que é possível viajar sozinha com tranquilidade e o preço da passagem.

Passagem

Paguei cerca de R$ 990 na minha passagem aérea ida e volta no Submarino, uns R$ 1500 no total com todas as taxas, voando pela American Airlines.

No voo de ida fiz escala em Miami, mas o de volta veio direto de Nova York para  São Paulo.

Hospedagem

O que eu nem se quer imaginava era o preço da hospedagem. Muito, mas muito cara. Ok, o dólar nas alturas deu uma ajudada para eu ver diárias de hostel acima dos R$ 300.

Hotel então não dava para achar por menos de R$ 1000 o dia. Nem o AirBnb conseguiu me salvar.

A data da viagem estava chegando e eu não conseguia achar um lugar para ficar dentro do que eu pretendia pagar e que fosse descente. E olha que eu revirei a internet.

O Hostel em que fiquei

Nos 45 do segundo tempo, optei por ficar em um hostel no Brooklyn, o B Hotel e Hostel. Paguei R$ 2300 por 8 diárias, com as taxas.

Fechei pela Decolar.com, pois dava para parcelar. O hostel tinha quarto feminino, a maioria dos que pesquisei eram mistos, era próximo a Manhattan e com fácil acesso ao metrô, que era em cima do lugar.

Apesar dessa parte do bairro não ser a mais bonita, ele era seguro para os padrões brasileiros. Cheguei tarde em algumas ocasiões e não vi nada que pudesse dar medo. Tem mercado próximo, Walgreens, Dunkin Donuts, Mc Donalds, mercearias, bares e restaurantes.

As áreas comuns do hostel são bonitinhas e o wi-fi é bom.

A parte dos quartos era ruim, as paredes não iam até o teto e o barulho era quase que insuportável, se você tem sono leve, melhor levar um protetor de ouvido. Tem a iluminação também que acaba entrando nos quartos, leve sua máscara de dormir.

As camas eram boas e os lençóis limpos. Os banheiros eram estranhos, praticamente transparentes, sério, você tomava banho vendo a pessoa ao seu lado caprichar em um número 2. Nos últimos dias, eles estavam bem sujos também.

Recomendo tentar achar um hostel melhor. Veja algumas opções!

Para ter um pouco de tranquilidade, melhor procurar banheiros públicos durante os seus passeios, eles serão mais confortáveis.

Translado do aeroporto para o hostel

Fiz o translado aeroporto-hostel-hostel-aeroporto de metrô e foi bem tranquilo.

Vale o custo/benefício. É fácil e bem mais barato. Olha que eu estava com duas malas. O trem que tem dá acesso as áreas do aeroporto custa US$ 5.

Ah, eu peguei o avião no JFK, acho que o La Guardian seria um pouquinho mais complicado, mas de boa também.

Quanto levar de dinheiro para NYC

Com a instabilidade do dólar, preferi garantir meus gastos em papel moeda. Calculei US$ 100 por dia e coloquei uns US$ 150 a mais.

Foi o suficiente, pude fazer comprinhas e voltei com uns 80 dólares.

CÂMBIO DO DÓLAR

Uma dica para escolher uma casa de câmbio para comprar os seus dólares é acessar o site Jooin. Ele faz a comparação de valores e indica onde a moeda está mais barata.

Ás vezes a casa fez tipo um preço mais competitivo especialmente para o site, quando ligar ou for lá, vale falar o valor que você viu, até mostrar um print, e eles farão por esse preço.

Confira mais da viagem nos posts com dicas de atrações e economia por Nova York! 

Update: o Jooin mudou para Melhor Câmbio.