Diário de viagem: a despedida do Chile

No último dia, arrumamos as malas e aproveitamos um pouco do hostel. Almoçamos no KFC, um hambúrguer com abacate, todos os lanches vão abacate no Chile, inclusive o cachorro-quente, mas é gostoso.

Fizemos o check-in, mas permitiram que nós deixássemos as malas no hostel para podermos nos despedir da cidade. Voltamos e pegamos um táxi até o aeroporto.

Um pouco mais de Santiago

Algumas coisas que eu não mencionei, mas vale a pena falar é que nas ruas há muitos cachorros, inclusive de raça, pois aqui não rola essa de carrocinha.

Os animais são bem tratados e alimentados pelas pessoas. Eles são vacinados e castrados por universitários.

Outra coisa é a limpeza das ruas, ninguém joga lixo no chão e eles dizem que quem joga geralmente são os brasileiros.

Não faça isso, primeiro porque não se deve fazer mesmo em qualquer lugar do planeta e segundo porque eles vão te xingar muito, você vai passar vergonha.

Os chilenos são simpáticos e receptivos.

Saiba como foi a viagem completa ao Chile!

Diário de viagem: outlets e compras em Santiago

O sexto dia da viagem foi dedicado a visitas a outlets e compras em Santiago. Sabíamos que alguns produtos eram mais baratos por lá, já que os impostos são menores do que os do Brasil.

Outlets

Começamos pelas outlets da Adidas e da Nike na Calle Pedro de Valdivia e fomos a da Reebok também, mas não lembro onde exatamente, mas era na região.

Fomos às lojas de eletrônicos, que realmente eram mais em conta. Minha amiga não comprou um notebook que estava bem mais caro no Brasil e se arrependeu depois. Não sei exatamente onde fica, pois um taxista que nos levou até lá.

Mercado Central

Almoçamos no ????????????????????Mercado Central que é uma das principais atrações turísticas da cidade. Aqui há algumas lembrancinhas para vender, frutas diferentes e frutos do mar. Escolhemos o restaurante Donde Augusto que tem até bandeira do Brasil e camisa de times brasileiros.

Eu comi um peixe, mas o tradicional lá é comer a centolla, tipo um caranguejo gigante que só pode ser achado nas águas do Pacífico. Eles ficam vivos nas vitrines.

Demos uma passada pela Ahuada para ver se tinha alguma coisa legal e barata.

Galeria do rock de Santiago

O namorado da minha amiga anda de skate, por isso fomos a uma espécie de Galeria do Rock de Santiago. Ela tem formato em caracol e os preços são mais em conta do que o do Brasil. Eu tentei achar o nome correto do local, mas não consegui.

????????????????????

Souvenirs

Achamos bem difícil comprar souvenirs em Santiago e só conseguimos achar o que queríamos na Estação de Trem da cidade, que tem várias lojinhas. Dizem que você pode achar também na feira de artesanato de Santa Lucía.

Parque Arauco

Fechamos o dia de compras no Parque Arauco, pois, como já disse antes, ele estava em promoção e eu adorei o lugar. Aqui há lojas de marcas famosas e as lojas de departamento tradicionais do país: Paris, Ripley e Falabella. Sem falar nos restaurantes. Ufa! Dia corrido e muito cansativo.

Veja dicas do que fazer em Santiago!

Dicas de Bares e baladas em Santiago

Você precisa saber algumas coisas sobre bares e baladas de Santiago antes de se jogar na noite chilena.

Horário de funcionamento

Uma coisa que me chamou a atenção foi a pontualidade que os bares fecham em Santiago. Lá existe uma lei que determina o horário que tudo deve fechar e ela é seguida a risca. Aliás, o policiamento é intensivo.Outra coisa importante: é proibido beber na rua.

O que vestir para sair em Santiago

As mulheres não investem muito no visual e dificilmente você vai achar uma chilena de salto alto na balada. Pode ir mais descontraída.

Pisco

A bebida tradicional do Chile é o pisco, que é uma aguardente de uva, eu provei a versão sour e em uma espécie de caipirinha com framboesa, ambas aprovadas.

Onde fomos

Fomos a muitos bares do bairro de BellaVista e a três baladas distintas. A primeira era mais da galera local e musicalmente foi a que eu mais gostei, pois só tocava canções latinas. Tivemos que sair praticamente a força de lá, pois as mulheres notaram que éramos turistas, se sentiram ameaçadas, começaram a esbarrar na gente e um homem chegou até nós e disse que era melhor irmos embora.

Conhecemos a segunda balada através de brasileiros que moravam em Santiago e era mais uma festa universitária.

Já a última foi bem legal, pois fomos com uma galera bem grande do hostel, de vários países. Ela era como uma balada top daqui do Brasil com vários ambientes, duas pistas, lounges e bares.

Bairro Bellavista

Outro lugar legal do bairro é o Pateo Bellavista, que é tipo um shopping. A maior parte do local é a céu aberto e ele conta com vários bares e restaurantes. Além de lojinhas e caixa eletrônico que dá para sacar dinheiro dos bancos brasileiros.

Vale lembrar que eu me acabei ficando no Bellavista, primeiro por que eu curti o lugar mesmo e segundo, pois dava para ir e voltar dos lugares a pé, sem usar táxis e outros meios de transporte. Mas há bairros com baladas mais caras e tal.

No bairro também havia uma feira de artesanato, lá eu consegui comprar um colar bem legal com a Lápis-Lazuli, uma pedra preciosa só encontrada no Chile e no Afeganistão.

Dicas de atrações turísticas do Chile!

O que fazer no Chile no verão?

Comecei a pesquisar sobre o Chile, me encantei pelo país e decidi que tinha que conhecê-lo. Minhas férias eram em fevereiro. Pensei se seria uma boa ir ao Chile no verão e decidi que sim.

Na verdade eu ainda tenho que visitar mais lugares por lá, mas eu comecei pelos pontos mais tradicionais.

Como ir do aeroporto ao centro de Santiago?

Eu e uma amiga chegamos a Santiago numa sexta-feira de fevereiro quase de madrugada. Do aeroporto até o hostel pegamos um táxi tradicional. Lá também há a opção de acertar o valor antes de chegar ao local. de destino.

Eu sinceramente prefiro usar o taxímetro, que geralmente sai mais barato ou pelo menos é mais justo.

Hospedagem no Chile

Ficar em um hostel foi muito importante para a nossa viagem ser ainda mais divertida, pois além de ser mais barato, é possível conhecer pessoas do mundo todo, inclusive brasileiro, trocar informações e conhecer culturas diferentes.

Hostel

Ficamos no Hostel Bellavista, que eu recomendo, pois é limpo, confortável, perto do metrô, da Plaza Italia, da avenida Providencia, de parques e fica em um bairro que tem vários bares, baladas e restaurantes.  Por isso, apesar de chegarmos tarde, fomos aproveitar um pouco da vida noturna da cidade.

Passagem aérea

Nós compramos as passagens aéreas pela Pluna, mas ainda bem que esta empresa não existe mais, porque os aviões eram horríveis, minúsculos, tinha que comprar a comida e na volta eles cobraram pela bagagem, o que não é permitido no Brasil, mas liberado no Chile.

Saiba como foi a minha viagem pelo Chile e tenha algumas dicas!