Festival de Inverno em Campos do Jordão

Desde muito pequena, viajo com os meus pais para Campos do Jordão durante as férias de julho. Por isso, acabei criando um carinho especial pela cidade.

O clima, a paisagem, a comida, as bebidas, os esportes radicais e as atrações do inverno da chamada “Suíça Brasileira” me atraem.

Onde ficar?

Neste ano, aluguei uma casa no Alto do Capivari pelo Airbnb, lugar aconchegante, com bom estacionamento, limpo e uma proprietária solícita e flexível. Recomendo!

O Booking tem algumas opções de hotel, lembre-se de sempre verificar as recomendações de qualquer tipo de hospedagem!

Campos do Jordão2

Onde comer?

Chegamos na sexta-feira no final da tarde, almoçamos em um restaurante de Capivari, que não era tão caro e ficamos pelo centro mesmo para esperar o resto da galera para passar o final de semana.

Estava acontecendo um arraiá em frente ao Market Plaza, as comidas eram gostosas e bem mais em conta. Um caldo verde, por exemplo, saia por R$ 10 e era bem servido. Tinha até pastel de pinhão com queijo. A pista de patinação no gelo estava no local.

O que fazer?

No sábado pela manhã fomos ao Pico de Itapeva, com estacionamento a R$ 5, e muitas lojinhas de roupas que são mais baratas do que em Capivari.

A vista não estava das melhores por causa da neblina, mas geralmente o lugar é conhecido por possibilitar a visualização de várias cidades da região.

Na Ducha de Prata da para tirar fotos lindas e também fazer comprinhas.

Nossa próxima parada foi no Tarundu, o parque é novidade para mim, tem tirolesa, cavalos, orbit ball, arco e flecha, golf, paintball e patinação no gelo.

Campos do Jordão

Eu, e a maioria das pessoas que estavam lá, achei tudo muito caro. Só para entrar tem que desembolsar R$ 5 por pessoa e os planos mais baratos para curtir as atrações são mais de R$100.

Almoçamos em um restaurante por quilo que também tinha comida à la carte, o Sergio’s, vale o custo x benefício.

Festival de Inverno

A noite apreciamos um concerto no Auditório Cláudio Santoro, fomos comer na quermesse e curtimos no tradicional bar da Baden Baden, eu particularmente sou apaixonada pela cerveja deles.

Aliás, na manhã seguinte, pudemos apreciar o #CombinacomBaden, uma experiência sensorial em que você pode degustar a cerveja em combinação com um alimento.

Chocolate quente

No domingo tomei meu chocolate quente cremoso favorito no Montanhês, ao som de mais um concerto, só que dessa vez na Praça do Capivari.

Campso do Jordão1

Para fechar, uma subida ao Morro do Elefante de Teleférico e um almoço no também restaurante por quilo Rota 77.

Veja outros posts de viagem no Nah Estrada!

O que fazer em um dia em Búzios

Na verdade ficamos apenas poucas horas na cidade. Por isso, também escolhemos fazer um passeio que nos possibilitasse ver o máximo de coisas no menor tempo possível. Afinal, um dia em Búzios não é o bastante!

Passeio de Jeep

Escolhemos fazer o tour de Jeep, que eu acho bem mais legal do que andar em vans, mesmo elas tendo ar-condicionado e tal.

Centro de Búzios

Saímos do centro de Búzios, passando pela Orla Bardot – uma homenagem à atriz francesa que se hospedava na cidade em suas visitas ao Brasil.

Praias

Conhecemos também as praias de João Fernandes, João Fernandinho e a ponta do Criminoso.

????????????????????

Paramos nos Mirantes João Fernandes, Natural da Brava e do Forno, Natural da Foca. As vistas são para várias praias, uma mais linda do que a outra.

Havia a opção de parar na praia da Ferradura e ficar lá por cerca de uma hora, mas não quisemos justamente pelo pouco tempo que tínhamos na cidade.

Ainda passamos pela Ponta da Boca da Barra e Praia de Ferradurinha. No caminho vimos casas de pessoas famosas também, como, por exemplo, a do jogador Adriano.

????????????????????

Rua das Pedras

Voltamos para a Rua das Pedras e andamos pelo centro de Búzios, visitando as muitas lojas que tem por lá.

Búzios foi uma das surpresas positivas da viagem, eu amei a cidade, achei linda, charmosa e bem cuidada, vou visitá-la novamente com mais calma.

Dicas de como fazer um cruzeiro! 

O que fazer em um dia em Angra dos Reis!

O que fazer em um dia em Salvador

Confesso que sempre quis estar em Salvador. Então, já fui com um roteiro pronto do que gostaria de ver na capital baiana. Sem pacotes e com todo o percurso cuidadosamente traçado e planejado no Google Maps para dar tempo de tudo. Afinal, só tinha um dia em Salvador!

Como ir do Porto ao centro?

É possível ir andando do porto até a região que fica o Mercado Modelo, mas para economizar tempo e por segurança, pegamos um táxi até lá.

Passeio pelas cidades baixas e alta

Subimos o Elevador Lacerda e fomos conhecer a chamada Cidade Alta. Lá fica o Pelourinho, igrejas como a do Ouro e a de São Francisco. As tradicionais baianas, que cobram para tirar fotos com elas e lojinhas com coisas lindas. A vista da Baía de Todos os Santos é incrível de lá de cima.

????????????????????

Descemos o elevador e fomos ao Mercado Modelo, se precisarem comprar lembrancinhas da Bahia aqui é o lugar, tem de tudo.

Barra

Seguimos de táxi até o Farol da Barra, passamos pelo prédio de alguns famosos, como a Ivete Sangalo, passeamos pela praia da Barra e na época era possível já ver quase tudo pronto para o carnaval.

????????????????????

Sorveteria da Ribeira

A parte mais cara de se locomover de táxi foi da Barra até a Sorveteria da Ribeira, deu uns R$ 40, mas pelo caminho conhecemos o Dique do Tororó, o Lago dos Orixás e a Fonte Nova. O taxista era bem legal e explicava tudo sobre a cidade para gente.

Vale muito a pena passar na Sorveteria da Ribeira, eu tomei um sorvete de tapioca e amei.

Igreja do Bonfim

O próximo destino foi a Igreja do Bonfim, que não poderia faltar. A igreja é bem bonita e você pode amarrar uma fitinha e fazer um pedido. Ainda voltamos e conseguimos almoçar no navio.

No final o que eu achei de Salvador, as praias são lindas, tem uma energia forte, os prédios antigos estão mal cuidados, as pessoas são simpáticas, os vendedores de rua evasivos e há muito roubo. Falta um cuidado maior com a cidade que pelo que se pode notar vive do turismo.

Dicas de como fazer um cruzeiro!

O que fazer em Ilhéus!

O que fazer em um dia em Ilhéus

Como já disse no post anterior, o pouco tempo em cada cidade ao se fazer um cruzeiro faz com que fechar pacotes turísticos seja uma solução. A ideia é conhecer os locais visitados rapidamente. Vamos ver o que dá para fazer em um dia em Ilhéus.

Opções de passeios

Ao descer no Porto de Ilhéus, fomos cercados por várias pessoas querendo vender passeios. Basicamente há duas opções de destinos: um que vai até o Itacarezinho. O outro passa por pontos turísticos do centro da cidade e vai até a Praia dos Milionários, no Litoral Sul.

????????????????????

Praia dos Milionários

Como o navio chegou com um pouco de atraso em Ilhéus – uma pessoa passou mal e tivemos que voltar para o porto de Niterói -, optamos por fazer o passeio para a praia mais próxima, a dos Milionários, e não me arrependo porque o lugar é lindo, as barracas possuem preços justos e ainda há música ao vivo em algumas delas.

Centro de Ilhéus

Passamos pelo centro da cidade e o guia nos dava todas as informações interessantes sobre o local, onde Jorge Amado estudou, morou, museus e muito mais.

Na volta da praia, passeamos pelo centro e fomos até o Bataclan, a Feira de Artesanato, o Bar Vesúvio e comemos um sorvete delicioso. Não tem como ir para Ilhéus e não mergulhar nas histórias de Jorge Amado.

????????????????????

Cuidados

Uma coisa importante a ser dita é tome muito cuidado na cidade, aqui há muitos assaltos, não ande sozinho e evite as ruas e as praias à noite. As pessoas aconselham a não tirar dinheiro por aqui.

Alguns passageiros arriscaram ir até Itacarezinho, que é uma praia mais afastada e deserta. Eles também disseram que lá é lindo e o passeio vale a pena.

Dicas para fazer um cruzeiro!

O que fazer em um dia em Salvador!

O que fazer em um dia em Angra dos Reis

Nas viagens de cruzeiro você tem pouco tempo para desbravar os locais de parada. Por isso, eu, que quase nunca faço pacotes de nada, me rendi a alguns passeios. Um dia em Angra dos Reis pode parecer pouco mesmo, mas vale conhecer pelo menos o básico.

Uma dica importante é não fechar os pacotes dentro dos navios, pois eles são bem mais caros.

Vila do Abrão

A embarcação atracou na Vila do Abrão, considerada a capital de Ilha Grande. Lá há restaurantes, campings, lojinhas e hospedagens, como não há um porto, a ida do navio até a cidade é feita dentro de barcos.

????????????????????

Passeios em Angra dos Reis

No píer há algumas opções de passeios marítimos, que podem ser feitos de escunas, lanchas e até de táxi-boat. Nós optamos por fazer o passeio de escuna até a Lagoa Azul, passando por várias ilhas.

Ai vai outra dica, em época de temporada os preços dos passeios aumentam bastante, vale a pena negociar os valores.

O passeio foi bem legal. O que eu achei mais impressionante foram as mudanças de tonalidades das águas no decorrer do percurso, um visual incrível.

????????????????????

Lagoa Azul

A Lagoa Azul é cheia de embarcações, mas é um lugar muito legal para mergulhar. No caminho você pode ver as casas dos famosos, a escuna ainda passa por algumas praias e atraca em uma para a hora do almoço.

O passeio é pautado de acordo com os horários de permanência dos navios nas cidades visitadas. Mas vale ficar atento sempre aos horários. O navio não vai te esperar se chegar atrasado e você só irá poder embarcar novamente no próximo ponto de parada.

Dicas para fazer uma viagem de navio!

O que fazer em Búzios!

Dicas sobre viagens de cruzeiros

Vai começar a temporada de viagens de navios no Brasil. Por isso, fiz um post sobre dicas sobre viagens de cruzeiros. Espero ajudar a todos!

Como decidir o melhor destino

No início deste ano, eu fiz uma viagem de cruzeiro pela costa brasileira. Para decidir qual seria o passeio escolhido, levei em conta alguns itens: destino, paradas, tempo a bordo, preço, refeições e bebidas inclusas. Ah e a data que estava de acordo com o período que eu poderia me ausentar do trabalho.

Com tanta opção de navio no mercado, você pode decidir ainda pensando em conforto, serviços de bordo, tripulantes e atrações dentro e fora do navio.

Eu escolhi o Grand Mistral, que não virá esse ano para o Brasil. A Costa o comprou e tem outros planos para ele fora do país.

Vale a pena fazer um cruzeiro?

Ok, a primeira dúvida é: vale a pena fazer um cruzeiro ou me planejar para ficar uma semana em algum lugar? Depende, se você realmente quer conhecer a cidade, fazer vários passeios turístico não é recomendado. Mas se você quer ficar em um hotel de luxo, com um ótimo serviço de bordo e conhecer várias lugares, o cruzeiro é uma ótima opção.

ESTRUTURA DO NAVIO

O navio não era o mais luxuoso, mas foi mais do que o suficiente para mim. Ele é considerado de médio porte. O serviço era realmente muito bom, os tripulantes simpáticos, atenciosos e animados.

Na verdade foi o que eu ouvi falar muito dele, que não era o mais chique, mas o mais divertido. Para vocês terem uma ideia, depois de uma semana convivendo com a galera do navio, eu sai de lá sentindo que tinha deixado amigos de longa data.

Comidas e bebidas

O Grand Mistral tinha além das tradicionais refeições, bebidas também inclusas, mas só nos horários em que as comidas eram servidas. A real é que tem refeições o dia todo, então dá para gastar bem pouco com as bebidas, como: água, refrigerante, cerveja e vinho.

O horário do jantar é definido por eles, mas tem como trocar se precisar, e sempre é o mesmo todos os dias. As pessoas que te servem também são sempre as mesmas e a mesa também. Todas as informações estão em um papel colocado na cabine.

Pode ser que você tenha que dividir a mesa com outras pessoas, mas é legal por que rola uma interação.

Dinheiro no navio

Outra coisa é pensar em como pagar o consumo no navio. O mais pratico é um cartão de crédito internacional, que você cadastra logo no primeiro dia. Importante: eles não aceitam aqueles cartões pré-pagos, como Travel Money. Tudo é calculado em dólar e lembre-se de desbloquear o seu cartão para compras internacionais.

Você pode levar dinheiro, mas tem uma quantidade mínima para desembolsar. No penúltimo dia, eles enviam a conta para o quarto e você tem um prazo para analisar, depois eles debitam o valor diretamente no seu cartão.

Entretenimento a bordo

Algumas pessoas pensam que ficar dentro de um navio pode ser uma chatice, mas não é assim, tem muita coisa para fazer a bordo. Todos os dias há apresentações teatrais, festas temáticas, aulas de danças, de ginástica, apresentações, brincadeiras e muuuuito mais, no final da noite rola até balada.

Há atrações para todas as idades, por isso, esse é o passeio ideal para se fazer com toda a família, com exceção dos cruzeiros temáticos, claro. Os pais podem ficar tranquilos com os filhos. Há monitores para crianças e adolescentes.

Diariamente um jornal é deixado com toda a programação do dia seguinte na cabine. Uma coisa legal é tentar descobrir as festas que geralmente ocorrem no navio, para estar preparado para cada tema.

Sobre passar mal durante a viagem

Navegar enjoa? Sim, eu enjoei e até tomei remédio. Eles oferecem de graça essa medicação na recepção do navio. Eu levei o meu de casa, pois não sabia dessa informação. Eu fui de São Paulo até Salvador, mas disseram que ir para o Sul é pior.

Compras no navio

Todos os dias há promoções nos Free Shops que tem dentro do navio, então não compre nada no primeiro dia, pois o produto pode estar mais barato no dia seguinte.

Quanto aos passeios, eu acredito que eles são bem mais caros se forem fechados dentro do navio. O legal é pesquisar antes as opções nos locais que o cruzeiro irá parar.

Internet a bordo

A internet a bordo é muito cara e devagar, só use se for realmente necessário. As ligações feitas em alto mar são consideradas como internacionais, isto é, bem caras. É bom saber para não ter surpresas na hora da conta.

O que eu mais gostei em fazer um cruzeiro é poder conhecer pessoas dos mais diferentes lugares do mundo, conversar um pouco com elas e descobrir como é viver em um navio e muitos vezes longe da família.

Uma surpresa bem legal da viagem foi que metade dos passageiros do cruzeiro eram argentinos e a outra metade brasileiros. O que proporcionou uma interação e uma troca de culturas sensacionais. O portunhol foi a língua oficial da viagem.

O que fazer em um dia em Búzios?

O que fazer em um dia em Angra dos Reis?

O que fazer em um dia Salvador?

O que fazer em um dia em Ilhéus?

Largo da Ordem e Museu Oscar Niemeyer

No nosso último dia em Curitiba, que era um domingo, fomos à Feira do Largo da Ordem. Lá tem barraquinhas vendendo de tudo: artesanato, comida, livros, brinquedos, acessórios e roupas. Estava até rolando um Festival de Dança nesse dia.

O lugar é bastante movimentado e atrai os locais e os turistas. Para quem quer se sentir da cidade o passeio é basicamente obrigatório.

Para terminar nossa viagem, seguimos para o Museu Oscar Niemeyer, o MON, para dessa vez conhecê-lo por dentro. Como gostamos bastante de arte, adoramos o passeio.

O museu recebe grandes exposições e vale a visita!

Veja o que rolou na viagem para Curitiba!

Diário de viagem: pontos turísticos de Curitiba

Mais um dia para conhecer os pontos turísticos de Curitiba.

Onde comer em Curitiba?

O bairro de Santa Felicidade é conhecido por ter muitos restaurantes de comida italiana, além de lojas de vinhos e de artesanato. Domingo é o dia mais movimentado por lá. Almoçamos no restaurante mais famoso da região, o Madalosso.

1

O esquema do local é de rodízio, que inclui massas, frango, polenta, saladas, risotos e outras coisas que eu não lembro agora. O Madalosso é bem grande e é considerado o maior restaurante da América Latina.

Bosque Alemão

Depois de comer até quase explodir, seguimos para o Bosque Alemão. O que eu mais gostei do parque foi a Trilha João e Maria que tem como destino a casa da bruxa. Um lugar ótimo para levar as crianças.

2

Barigui

Ai foi a vez do parque mais popular da cidade, o Barigui. Próxima parada: Praça Espanha. Estava rolando uma feira de carros antigos e de artesanato por lá. A galera se reúne no local para beber, conversar e fazer um som com o violão.

Mais pontos turísticos

Como gostamos muito de futebol, fizemos questão de passar pela Arena da Baixada, que será palco de jogos da Copa do Mundo de 2014. Na frente dele há um parque com uma pista de skate.

Seguimos para o centro, para tentar ver o que tínhamos perdido no dia seguinte. Passamos pelo Passeio Público e outros locais que não lembro o nome. Consegui andar pela Rua das Flores, que tem uns cafés e muitas lojas.

????????????????????

Terminamos nossa saga no Teatro Paiol, que antes era um abrigo de pólvora, mas se transformou no primeiro teatro de arena da cidade.

Mais comida

A noite terminou mesmo com uma comida mexicana deliciosa no Taco El Pancho, no bairro do Batel. É nesta região que ficam vários bares e baladas.

Veja como foram os outros dias da viagem por Curitiba!

Unilivre

Diário de viagem: o que fazer em Curitiba?

O dia começou cedo, tem bastante coisas para fazer em Curitiba e tínhamos poucos dias na cidade.

Museu Oscar Niemeyer

Seguindo o mapa que eu havia feito, decidimos ir primeiro ao Museu Oscar Niemeyer, o MON ou Museu do Olho. A arquitetura do local é realmente incrível. Não conseguimos entrar no museu, pois ele ainda estava fechado. Porém, fomos em um outro dia novamente. O horário de funcionamento do MON é das 10h às 18h e abre de terça a domingo.

Bosques e Parques

A segunda parada foi o Bosque do Papa, que fica colado ao museu. Ele foi inaugurado em 1980, após a visita de João Paulo II a cidade. Dentro do parque há o Memorial da Imigração Polonesa e casas construídas pelos poloneses.

blo

Outro parque que visitamos foi o Parque São Lourenço. Nós deparamos com umas ovelhas no local. Notamos que havia uma galera treinando para corridas, mas acho que é por que teria uma no dia seguinte pelas ruas da cidade. O local abriga o Centro de Criatividade de Curitiba.

De lá seguimos para o Parque das Pedreiras. O local possui um visual bem bonito com cascatas e muito verde. É aqui também que fica a Ópera de Arame, um teatro com uma arquitetura bem ousada. Ele estava em reforma na parte interna quando fomos.

Unilivre

O próximo parque da lista foi o Tanguá que tinha uma vista e um jardim bem legais. Depois fomos a Universidade Livre do Meio Ambiente, a Unilivre, que eu particularmente amei. Uma energia e um visual incríveis. Queria estudar lá.

Finalizamos nossa manhã no Parque Tingui, que abriga o Memorial Ucraniano, mais uma homenagem aos imigrantes de Curitiba. Lá há uma réplica da igreja São Miguel Arcanjo com objetos religiosos, passankas – aqueles ovos pintados à mão – e artesanato ucraniano. Rola até uma musiquinha ambiente.

Fizemos tudo isso em uma manhã, milagre!? Não, tudo era bem próximo. A impressão que eu tenho é que tudo em Curitiba leva no máximo 15 minutos de distância de carro.

Mais atrações de Curitiba!

Diário de viagem de Curitiba

Vou começar este diário de viagem de Curitiba com uma dica que serve para qualquer viagem que você planeje fazer. Sempre monte um mapa no Google com todos os lugares que deseja conhecer. Assim fica bem mais fácil de fazer um roteiro que economize tempo, dinheiro e distâncias.

Jardim Botânico

Por isso, o lugar que escolhemos conhecer primeiro foi o Jardim Botânico, que fica perto da Régis Bittencourt. Eu adorei o lugar, bonito, tranquilo e bem cuidado. Aliás, o meu encantamento por Curitiba começou ali.

????????????????????

Hospedagem em Curitiba

Para variar eu fiquei hospedada em hostel. O escolhido da vez foi o Motter Home. O lugar é bem bonitinho e fica em uma casa da década de 1950.

O atendimento é excelente, os quartos são confortáveis e limpos, e o café da manhã é bom. É possível alugar quartos para casal com ou sem o compartilhamento de banheiro.

Torre Panorâmica

Torre Panorâmica de Curitiba

Depois de nos instalarmos, fomos a Torre Panorâmica que tem uma vista bem legal de toda a cidade. Excelente para curtir o pôr-do-sol.

Notei que vários pontos turísticos de Curitiba têm a manutenção feita por empresas privadas. A Torre Panorâmica é um deles. Uma divisão entre público e privado.

Bar do Alemão

Bar do Alemão em Curitiba

Tentamos passear pelo centro da cidade, mas como era uma sexta-feira acabamos pegando muito trânsito e não conseguimos lugar para estacionar o carro por lá.

Mesmo assim deu para ver alguns pontos turísticos.

À noite fomos a um lugar que eu particularmente amei: o Bar do Alemão.

Demoramos um pouco para achar a entrada, pois era bem discreta, mas dentro era bem grande. Chope gelado e uma comida sensacional.

Ele fica no Largo da Ordem, onde tem vários bares legais.

Como ir de São Paulo a Curitiba de carro.

Diário de viagem de Curitiba.