O dilema: Mochila x Mala de Rodinha

Quando se fala em fazer um mochilão pela Europa vem logo a imagem das mochilas nas costas, mas nem todo mundo pode ou gosta desse tipo acessório para levar sua bagagem.

No meu caso, estava com um problema nas costas e pensei que não seria a melhor das ideias carregar uma mochila pesada por um longo período e apostei na mala de rodinha.

No começo fiquei até com vergonha, dá para acreditar? Besteira! Como você carrega suas coisas não define se você é mais ou menos um aventureiro, um viajante e até mesmo um “mochileiro”. 

As duas possuem suas vantagens e vai de gosto mesmo!

Mochila é mais vantajosa quando é preciso:

  • Se locomover em lugares com escadas ou solos não muito favoráveis e sujos.
  • Trocar bastante de cidade-base.
  • Evitar despachar sempre a bagagem, principalmente em voos low-cost.
  • Andar muito de transporte público urbano.

Mala de rodinhas é mais vantajosa quando você quer:

  • Carregar um pouco mais de peso.
  • Manter as suas coisas um pouco mais organizadas e fácil de achar.
  • Andar com coisas que podem quebrar, tipo garrafa ou outra coisa de vidro.
  • Deixar as suas roupas um pouco menos amassadas.
  • Andar mais de táxi e Uber nos translados.

Como foi a minha experiência?

A mala de rodinhas pode ser ruim para coluna também, na verdade, como algumas estações de transportes públicos e hostels não tinham elevadores eu acabei ficando uma ou duas vezes com dores no ombro de carregá-la pelas escadas.

Eu tinha cidades-base, então, a dificuldade era das estações de trem e ônibus ou aeroporto até a hospedagem.

Diariamente eu usava uma mochila não muito pequena para passar o dia inteiro fora pela região ou em bate e voltas.

Conseguia achar as minhas coisas com certa facilidade, o que em um quarto de hostel à noite ou bem cedinho é muito bom para não atrapalhar os outros.

Acho que o principal mesmo é levar só o essencial, seja na mochila ou na mala de rodinha para facilitar a locomoção e não passar por muitos perrengues. 

Minha primeira viagem pela Europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *