Bate e volta: Nova York-Filadélfia

Dá tranquilamente para fazer um bate e volta de Nova York para a Filadélfia.

Transporte

Você pode ir de Amtrak que é mais caro ou pagar US$ 5 o trecho e ir de ônibus, que não é tão confortável que nem o trem, mas tem tomada, banheiro e wi-fi.

A empresa é a Megabus. Comprei a passagem pelo site, mas dá para comprar na hora, na volta quis pegar um ônibus mais cedo e eles me fizeram pagar a passagem novamente.

O que fazer na Filadélfia?

Ir à Filadélfia é muito parecer estar no passado, pensar que todos aqueles personagens que você viu as crianças encenando sobre o 4 de julho em milhares de filmes americanos viveram por lá.

Para já entrar no clima, vá ao Independence National Historical Park. O lugar é importante para a história dos Estados Unidos. Ali fica a Independence Hall, onde a Constituição e a Declaração de Independência do país foram escritas.        

Independence_hall                           

Tem um mini museu onde eles guardam o sino em que foi anunciada a independência, prédios que foram da presidência, pois lá foi a primeira capital do país. É preciso até que passar por detectores de metal e raio-x para entrar nesses lugares.

Comer na Filadélfia

De lá é possível ir andando até o Reading Terminal Market que é sensacional. O mercado funciona no mesmo local desde 1892 e têm comidas bem gostosas e baratas. O sorvete Basset´s, por exemplo, tem seu balcão lá desde a inauguração.

De quarta a sábado, os amishes levam suas guloseimas para vender no mercado. Eu comi a tradicional Apple Pie.

Passeio pelo centro

Mais adiante está a Philadelphia City Hall, o prédio da prefeitura da Filadélfia, ele tem uma arquitetura bem bonita. Próximo ainda tem o Masonic Temple, o maior templo mansônico do mundo, que tem visitas guiadas e pagas.

Andando mais um pouquinho, você chega no Love Park, que tem uma réplica da escultura de Robert Indiana. Dali você avista a Benjamin Franklin Parkway que é a rua que te leva até os museus.

Caminho para os museus

No caminho está a Basílica de Peter e Paul que tem um espaço reservado para os fieis amarrarem fitas com seus pedidos.

Logo a frente está a biblioteca da Filadélfia e o The Franklin Institute.

Mais a frente está o Museu dedicado ao Rodin, com a maior coleção de originais do artista. As obras eram de uma coleção particular e foram doadas para o Estado. O ingresso tem valor sugerido, então você paga quanto puder.

Rocky Balboa

Seguindo a Benjamin Franklin Parkway você chega no principal museu da cidade, que guarda o maior acervo de arte dos Estados Unidos, o Museu de Arte da Filadélfia. Mas o que a galera curte mesmo nele é subir suas escadarias.

Rocky Balboa

O local ficou famoso por ser cenário do filme Rocky, um lutador. Impressionante, mas todo mundo sobe as escadas correndo, cantando a música do filme e quando chega levanta as mãos em sinal de vitória.

Ao lado do museu há uma estátua de bronze do Rocky Balboa.

Agora, se você ainda tiver disposição, pode seguir às margens do Schuylkill até chegar ao ponto para pegar o ônibus de volta, que fica bem perto da estação do Amtrak.

Quer passear por Nova York? Veja as dicas do Nah Estrada! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *