Dicas sobre viagens de cruzeiros

Vai começar a temporada de viagens de navios no Brasil. Por isso, fiz um post sobre dicas sobre viagens de cruzeiros. Espero ajudar a todos!

Como decidir o melhor destino

No início deste ano, eu fiz uma viagem de cruzeiro pela costa brasileira. Para decidir qual seria o passeio escolhido, levei em conta alguns itens: destino, paradas, tempo a bordo, preço, refeições e bebidas inclusas. Ah e a data que estava de acordo com o período que eu poderia me ausentar do trabalho.

Com tanta opção de navio no mercado, você pode decidir ainda pensando em conforto, serviços de bordo, tripulantes e atrações dentro e fora do navio.

Eu escolhi o Grand Mistral, que não virá esse ano para o Brasil. A Costa o comprou e tem outros planos para ele fora do país.

Vale a pena fazer um cruzeiro?

Ok, a primeira dúvida é: vale a pena fazer um cruzeiro ou me planejar para ficar uma semana em algum lugar? Depende, se você realmente quer conhecer a cidade, fazer vários passeios turístico não é recomendado. Mas se você quer ficar em um hotel de luxo, com um ótimo serviço de bordo e conhecer várias lugares, o cruzeiro é uma ótima opção.

ESTRUTURA DO NAVIO

O navio não era o mais luxuoso, mas foi mais do que o suficiente para mim. Ele é considerado de médio porte. O serviço era realmente muito bom, os tripulantes simpáticos, atenciosos e animados.

Na verdade foi o que eu ouvi falar muito dele, que não era o mais chique, mas o mais divertido. Para vocês terem uma ideia, depois de uma semana convivendo com a galera do navio, eu sai de lá sentindo que tinha deixado amigos de longa data.

Comidas e bebidas

O Grand Mistral tinha além das tradicionais refeições, bebidas também inclusas, mas só nos horários em que as comidas eram servidas. A real é que tem refeições o dia todo, então dá para gastar bem pouco com as bebidas, como: água, refrigerante, cerveja e vinho.

O horário do jantar é definido por eles, mas tem como trocar se precisar, e sempre é o mesmo todos os dias. As pessoas que te servem também são sempre as mesmas e a mesa também. Todas as informações estão em um papel colocado na cabine.

Pode ser que você tenha que dividir a mesa com outras pessoas, mas é legal por que rola uma interação.

Dinheiro no navio

Outra coisa é pensar em como pagar o consumo no navio. O mais pratico é um cartão de crédito internacional, que você cadastra logo no primeiro dia. Importante: eles não aceitam aqueles cartões pré-pagos, como Travel Money. Tudo é calculado em dólar e lembre-se de desbloquear o seu cartão para compras internacionais.

Você pode levar dinheiro, mas tem uma quantidade mínima para desembolsar. No penúltimo dia, eles enviam a conta para o quarto e você tem um prazo para analisar, depois eles debitam o valor diretamente no seu cartão.

Entretenimento a bordo

Algumas pessoas pensam que ficar dentro de um navio pode ser uma chatice, mas não é assim, tem muita coisa para fazer a bordo. Todos os dias há apresentações teatrais, festas temáticas, aulas de danças, de ginástica, apresentações, brincadeiras e muuuuito mais, no final da noite rola até balada.

Há atrações para todas as idades, por isso, esse é o passeio ideal para se fazer com toda a família, com exceção dos cruzeiros temáticos, claro. Os pais podem ficar tranquilos com os filhos. Há monitores para crianças e adolescentes.

Diariamente um jornal é deixado com toda a programação do dia seguinte na cabine. Uma coisa legal é tentar descobrir as festas que geralmente ocorrem no navio, para estar preparado para cada tema.

Sobre passar mal durante a viagem

Navegar enjoa? Sim, eu enjoei e até tomei remédio. Eles oferecem de graça essa medicação na recepção do navio. Eu levei o meu de casa, pois não sabia dessa informação. Eu fui de São Paulo até Salvador, mas disseram que ir para o Sul é pior.

Compras no navio

Todos os dias há promoções nos Free Shops que tem dentro do navio, então não compre nada no primeiro dia, pois o produto pode estar mais barato no dia seguinte.

Quanto aos passeios, eu acredito que eles são bem mais caros se forem fechados dentro do navio. O legal é pesquisar antes as opções nos locais que o cruzeiro irá parar.

Internet a bordo

A internet a bordo é muito cara e devagar, só use se for realmente necessário. As ligações feitas em alto mar são consideradas como internacionais, isto é, bem caras. É bom saber para não ter surpresas na hora da conta.

O que eu mais gostei em fazer um cruzeiro é poder conhecer pessoas dos mais diferentes lugares do mundo, conversar um pouco com elas e descobrir como é viver em um navio e muitos vezes longe da família.

Uma surpresa bem legal da viagem foi que metade dos passageiros do cruzeiro eram argentinos e a outra metade brasileiros. O que proporcionou uma interação e uma troca de culturas sensacionais. O portunhol foi a língua oficial da viagem.

O que fazer em um dia em Búzios?

O que fazer em um dia em Angra dos Reis?

O que fazer em um dia Salvador?

O que fazer em um dia em Ilhéus?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *